PUBLICIDADE

Topo

Mulheres inspiradoras

Dama do teatro, Fernandona faz 92 como ícone feminino de arte e liberdade

Fernanda Montenegro faz 92 anos e se firma como símbolo de arte e liberdade nos palcos e na vida - Reprodução/Instagram
Fernanda Montenegro faz 92 anos e se firma como símbolo de arte e liberdade nos palcos e na vida Imagem: Reprodução/Instagram

Nathália Geraldo

De Universa

16/10/2021 11h38

Seja a qual geração você pertença, já deve ter visto alguma produção na TV, no cinema e no teatro da atriz Fernanda Montenegro, que completa 92 anos neste sábado (16) — com a terceira dose da vacina contra o coronavírus já no braço, inclusive.

Dama da dramaturgia brasileira, Fernandona é uma das atrizes de referência para muitas mulheres que sobem ao palco e, com 75 anos de carreira, se tornou um dos ícones femininos na luta pela cultura e pela liberdade — em 2019, ela posou como "bruxa" para a capa da revista Quatro Cinco Um e decretou: "Quando acenderem as fogueiras eu quero estar do lado das bruxas".

Mulher inspiradora, Fernanda Montenegro tem conquistas e feitos, como sua candidatura à cadeira na Academia Brasileira de Letras, que terá o resultado divulgado em 4 de novembro, marcantes. Universa traz uma lista deles.

Fernanda Montenegro e feitos inspiradores

'O início de um sonho...'

O começo da vida profissional de Arlette Pinheiro Esteves da Silva, nome de batismo de Fernanda Montenegro, foi como locutora de rádio. Nos anos 1950, passou a se dedicar também aos teleteatros. Passou pela Tupi, pela TV Rio. Foi nos anos 1980 que deu os primeiros passos em novelas da TV Globo. Pioneira, abriu portas para outras atrizes que vieram depois e se firmaram na produção audiovisual brasileira.

Prêmios e indicações

Se não foi vista por você na época, a cena em que a atriz interpreta Charlô na novela "Guerra dos Sexos" e faz uma guerra de comida com o primo Otávio, interpretado por Paulo Autran, possivelmente está em algum canto de seu imaginário.

Pela participação na trama, Fernanda ganhou o prêmio de Melhor Atriz da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). Esse é um dos prêmios que a alçam ao patamar de "grande atriz", além de, claro, a indicação ao Oscar em 1999 como Melhor Atriz por "Central do Brasil".

Pela arte, Fernanda Montenegro não para

Quando completou 90 anos, Fernanda Montenegro continuava a todo vapor em sua profissão: fez o filme "A Vida Invisível", de Karim Aïnouz, e também estava no teatro como a feminista Simone Beauvoir. Também lançou um livro de memórias, "Prólogo, ato, epílogo".

Durante a pandemia, ainda se manteve produzindo arte, fazendo, no ano passado, um episódio da série global "Amor e Sorte" ao lado da filha, Fernanda Torres. A história fez tanto sucesso que se estendeu para um especial da TV Globo, "Gilda, Lucia e o Bode", em que as duas interpretaram com humor as questões geracionais entre mãe e filha.

O poder da mulher e os avanços

Além de Fernanda Montenegro reunir talentos que inspiram outras mulheres a batalharem por espaços, a atriz também já comentou sobre como celebra os avanços femininos na sociedade ao longo dos anos. "A mulher saiu de casa, ela está tentando atravessar a rua. É avassalador. Os homens estão sendo liberados de compromissos pelo poder reivindicador da mulher. O movimento feminino tem que chamar o homem à responsabilidade", comentou, em entrevista ao jornalista Pedro Bial em 2014.

Mulheres inspiradoras