PUBLICIDADE

Topo

'Não basta denunciar racismo, é preciso anunciar saídas', diz empresária

Júlia Flores

De Universa

28/09/2021 15h42

Para Caroline Moreira, criadora do Negras Plurais, "nascer negro é diferente de se descobrir negro". Durante o segundo painel da edição 2021 do Universa Talks Empreendedorismo, "Empresárias Negras: A Tradição que Vira Negócio", a empresária contou como o preconceito a levou a entrar no mundo do empreendedorismo.

"Eu fazia uma faculdade de qualidade, tirava boas notas, estudava, me dedicava e, ainda assim, não conseguia ascender socialmente. Primeiro, achei que era uma incompetência minha, mas depois me dei conta que era o racismo que estava me negando aquele espaço", disse. "Foi quando eu decidi mudar esse cenário e me tornei uma empresária", afirmou Caroline, que participou da mesa de debates ao lado de Gabriela Chaves (NoFront Empoderamento Financeiro) e de Michelle Fernandes (Boutique de Krioula), sob o comando da colunista Xan Ravelli.

Além de compartilharem as próprias histórias, as empresárias também deram dicas fundamentais para um negócio de sucesso - como, por exemplo, "pedir ajuda". Veja mais:

Mudar o mundo também pode ser um bom negócio

Para Caroline, assim como muitas empreendedoras sociais, foi a vontade de mudar o mundo que a transformou em empresária de sucesso. "Sempre soube qual era o tom da minha pele, mas me descobrir negra foi diferente. Com o tempo, passei a me dar conta de que não passava em entrevistas de emprego por causa da minha cor. Demorei para entender que sofria racismo, que não conseguia ascender de classe social por causa disso. Depois de muito lutar contra o sistema, decidi que tinha que transformá-lo de dentro", contou.

Foi quando a empresária criou o Negra Plurais, uma start up de aceleração de negócios para mulheres negras. "Sabia que não ia conseguir mudar o mundo, mas se eu pudesse mudar alguns mundos perto de mim, aquilo já valeria a pena", afirmou.

Assim como Caroline, Michelle Fernandes (fundadora do Boutique de Krioula) também transformou a tradição em negócio. Desde 2012, quando abriu a loja especializada no comércio de peças da cultura africana, Michelle combina amor com luta - de uma forma atual, através de vendas online.

Ela contou que o fato de ter uma loja online foi decisiva para que o negócio sobrevivesse à pandemia: "Eu me dei conta de que muitas empreendedoras precisavam de eventos e lugares fixos para vender. Por causa do isolamento social, muitas fecharam o negócio porque não conseguiram se adaptar ao mercado digital. Ainda bem que a Boutique, desde a sua origem, sempre foi online".

O pulo do gato

Na opinião da criadora do NoFront Empoderamento Financeiro, Gabriela Chaves, o principal aprendizado da pandemia foi "aceitar pedir ajuda" quando o negócio não está em sua melhor fase. Para evitar os deslizes, porém, ela frisou a importância de um planejamento a longo prazo do negócio: "É preciso ter em mente aonde você quer estar daqui a 1, 5 e 10 anos. Este foi o meu pulo do gato".

A empresária Caroline Moreira também destacou a importância do planejamento — e da paciência — para criar um negócio de sucesso: "O pulo do gato não acontece de forma repentina, é feito através de uma construção. Meu pulo do gato foi pegar a minha história, o que aprendi e passar essa mensagem para outras mulheres. Meu pulo do gato foi estar com outras mulheres, nunca sozinha".

Para Michelle, o pulo do gato também não foi um produto. "Meu pulo do gato foi dar atenção ao que as pessoas estavam falando. Às vezes, você não precisa comercializar um item, mas pode vender um saber que é só seu, pode oferecer conhecimento para pessoas que não têm a mesma experiência que você", concluiu a empresária.

Antes de encerrar o evento, Caroline destacou: "Não basta apenas denunciar o racismo, é preciso também anunciar novas saídas para as mulheres negras".

Universa Talks 2021 reúne empreendedoras de sucesso para contar suas histórias e como chegaram lá. As convidadas falam também sobre as dificuldades em períodos de crise, falências, dívidas e como não desistir pode ser a chave para o sucesso. Acompanhe a íntegra do evento.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que aparece no vídeo, Gabriela Mendes Chaves, que aparece no painel 2, é fundadora e CEO da NoFront Empoderamento Financeiro. Além disso, a grafia correta do nome da fundadora e diretora executiva da Empoderamento Contábil, que está no painel 1, é Ludmila Hastenreiter.