PUBLICIDADE

Topo

Nego do Borel em "A Fazenda": confinado, cantor ainda responde a processo

Nego do Borel foi denunciado pela ex-namorada, Duda Reis, por violência doméstica - Reprodução
Nego do Borel foi denunciado pela ex-namorada, Duda Reis, por violência doméstica Imagem: Reprodução

Camila Brandalise

De Universa

14/09/2021 04h00

A partir desta terça-feira (14), com a estreia de "A Fazenda" na Record, o cantor Nego do Borel, um dos participantes do reality show, entra na disputa pelo prêmio de R$ 1,5 milhão. Se for mantido na casa pelo público por meio das votações, poderá ficar até 94 dias confinado.

Seja qual for o dia de sua saída, aqui, do lado de fora, ele ainda enfrenta o processo aberto após as denúncias da influenciadora Duda Reis, sua ex-namorada, que o acusa de agressão e estupro, entre outros crimes. Mas qual a situação do caso e como ficam, daqui para a frente, as denúncias contra o artista?

Universa conversou com as advogadas de Borel e Duda. Relembre as acusações feitas pela atriz e entenda em que ponto está o processo.


Após término, acusações de violência, estupro e transmissão de HPV

Duda registrou um boletim de ocorrência contra Nego do Borel no dia 14 de janeiro. O casal havia rompido o namoro um mês antes, em dezembro. A atriz o acusou de violência doméstica, estupro de vulnerável, lesão corporal, ameaça, injúria e transmissão de HPV (doença sexualmente transmissível).

Na época, a atriz conseguiu uma medida protetiva, impedindo o ex de falar o nome dela, tentar contato ou se aproximar dela. Também teria que manter distanciamento dos familiares de Duda. A medida segue valendo.

Como explica a advogada do cantor, Elizabeth Medeiros Pinto, o processo relacionado às acusações de Duda está na fase de inquérito policial, em que as autoridades colhem depoimentos e provas. "A defesa vem trabalhando para comprovar a inocência do Leno", diz Pinto, referindo-se ao nome de registro do cantor, Leno Maycon Viana Gomes.

Sobre a participação do artista em "A Fazenda", a advogada afirma que "a princípio não há qualquer impeditivo".

De acordo com a advogada de Duda, Izabella Borges, a investigação "segue a pleno vapor". "Testemunhas foram ouvidas e confirmaram a versão da Duda. Há muitas provas importantes nos autos e esperamos que em breve as investigações sejam finalizadas e ele se torne réu em razão dos fatos denunciados", diz.

Caso a polícia conclua que há provas de que Borel tenha cometido os crimes denunciados por Duda, poderá indiciá-lo ao final do inquérito. Depois disso, a investigação é entregue ao Ministério Público, que vai decidir se apresentará a denúncia à Justiça. Se isso acontecer, e caso seja aceita, Borel se tornará réu.

Borges explica ainda que o inquérito está caminhando para as diligências finais. "Em breve juntaremos a perícia psicológica da Duda, que aponta a existência de estresse pós-traumático em razão das violências que ela denunciou."

Enriquecimento ilícito e porte ilegal de arma

Além das acusações envolvendo agressões e violência sexual, Duda acusou Borel de porte ilegal de arma e de enriquecimento ilícito. Disse, também, que ele teria dinheiro guardado em casa.

Em agosto, após um mandato de busca e apreensão, a polícia não chegou a nenhuma prova no celular de Borel em relação às acusações feitas por ela. De acordo com a defesa do cantor, a perícia constatou que o dinheiro que ele mantinha foi conseguido de maneira legal. Sobre a arma, Pinto afirma que o objeto é de "airsoft", funciona por pressão e é usada em atividades de simulação de operações policial. Não é necessária autorização para possuí-la.

Lembrando que a investigação continua normalmente e nenhuma denúncia foi descartada ainda.

Denúncia de difamação feita contra Duda

Em julho, Borel registrou uma queixa-crime contra Duda por difamação, calúnia e injúria. As denúncias foram negadas pela Justiça em agosto porque, segundo decisão, excederam o prazo de seis meses para serem registradas a partir da ocorrência dos fatos.

A defesa afirmou que cabe recurso. Já a acusação considerou "uma vitória de todas mulheres que sofrem violência doméstica e têm medo de se manifestar e sofrer represálias do agressor". "A mulher tem o direito de falar sobre as violências que viveu e denunciou e a Justiça deve proteger essa liberdade da mulher rejeitando qualquer instrumento processual que busque silenciá-la", afirmou Izabella Borges ao UOL na época.

Borel já foi indiciado por violência

Além do caso envolvendo Duda Reis, Borel foi indiciado, em julho, pela Polícia Civil do Rio de Janeiro pelo crime de lesão corporal no âmbito da violência doméstica contra sua ex-namorada, a assessora de imprensa Swellen Sauer.

A jovem o denunciou após as acusações de Duda virem à tona. Segundo Swellen, ela foi vítima de diversas agressões durante o período em que namoraram, entre 2012 e 2015.

Sobre o caso, a advogada Elizabeth Medeiros Pinto afirma "que Leno nega as acusações e, se denunciado, a defesa trabalhará nesse sentido durante o devido processo legal". Pinto foi questionada sobre outros detalhes do caso, mas disse que não poderia mais se manifestar porque os processos correm em segredo de Justiça.