PUBLICIDADE

Topo

Signos opostos se opõem, mas se complementam: como usar isso a seu favor

Signos opostos também podem se complementar - Getty Images
Signos opostos também podem se complementar Imagem: Getty Images

Nathalie Ayres

Colaboração para Universa

11/08/2021 04h00

O zodíaco é um círculo, dividido em 12 fatias: cada uma delas é um signo. Quando olhamos para essa roda, vemos que alguns signos ficam exatamente de frente um ao outro, formando seis eixos complementares. "A oposição traz justamente energias antagônicas, mas possuem uma similaridade em algum grau. Tudo no universo vem em par, em polos que estão sob um mesmo eixo, a exemplo do calor e frio ou luz e sombra", explica o astrólogo e tarólogo Julio Grobel.

Ou seja, não é que esses signos sejam totalmente diferentes um do outro, como a água para o vinho. "Até por que eles têm a mesma modalidade (cardinais, fixos ou mutáveis) e eles têm polaridade semelhante — os signos de elemento fogo e ar são o que chamamos ativos, enquanto os de terra e água são receptivos, e os opostos estão dentro dessas mesmas polaridades", conta o astrólogo Rafa Fontenelle, conhecido pelo nome místico de Bixa Bruxa.

O ponto é que cada um deles possui luz em características que são consideradas sombra no outro, ou seja, no final das contas um tem algo a ensinar ao outro. "Na astrologia moderna, a oposição é vista de uma forma mais suave do que na tradicional. Nessa visão mais atual, se você quer jogar luz ao que é sombra no seu signo, você deve olhar para o signo oposto", explica Rafa.

Quais são os signos opostos?

Podemos considerar 6 eixos opostos, que são:

Áries x Libra

Rafa costuma chamar essa posição de "eixo das relações". São dois signos cardinais, que abrem estações, começando em equinócios, quando o dia e a noite têm exatamente a mesma duração.

De um lado temos Áries, um signo que vê a si mesmo antes dos outros e por isso tem o impulso de agir, muitas vezes sem pensar no outro. "Áries é mais direto e duro na sua expressão (seco), sendo mais ativo, com iniciativa e prezando a individualidade", resume Julio.

Por outro lado, Libra traz maior diplomacia, olhando primeiro para o outro. "Por isso que a tomada de decisão para o libriano é difícil, porque ele se preocupa o que o outro vai achar de sua ação", define Rafa.

No final das contas, é exatamente isso que um tem a aprender com o outro. "Áries e Libra possuem desafios complementares: enquanto o libriano precisa aprender a sustentar sozinho suas decisões e tomar ações não tão focadas no outro, o desafio do ariano é escutar mais e dar o tempo dos outros", analisa a Bixa Bruxa.

Touro x Escorpião

Aqui é o que Rafa denomina "o eixo da forma". São dois signos fixos e de meio de estação, que lidam de formas diferentes com a presença e ausência do que desejam.

De um lado temos Touro, que está fortemente ligado à abundância daquilo que se deseja de um modo material (comida, posses e bens). Por isso que relacionamos muito o signo de Touro à comida e também à boa relação com o dinheiro.

De outro temos Escorpião, que está muito mais ligado à morte e à imaterialidade. "Chega uma hora que o acúmulo acaba, algumas coisas precisam morrer para outras nascerem, e Escorpião é sobre isso, sobre a escassez, a falta de várias coisas", considera Rafa.

O que um ensina para outro está relacionado a essa dualidade. O taurino precisa aprender a ser menos possessivo, que vão existir situações de escassez e de deixar as coisas irem. Já o escorpiano precisa entender que é importante também buscar o que o engrandece e não se apegar apenas ao que está faltando.

Gêmeos x Sagitário

No chamado "eixo da mente", temos dois signos mutáveis que se relacionam de forma diferente com a obtenção do conhecimento.

Primeiro, Gêmeos, regido por Mercúrio e que expressa o potencial desse planeta pela comunicação e a vontade de conhecer um pouco sobre muitos assuntos ao mesmo tempo, com uma dificuldade em focar em um ponto só.

Já o sagitariano, representado pelo centauro arqueiro, costuma focar sua flecha em um tema só, querendo saber tudo que é possível sobre aquilo e tendo muitas vezes dificuldades de expressão sua opinião, ou quando a forma, fica muito preso a essa ideia concebida.

"Como que um ajuda o outro? O geminiano tem que saber que às vezes ele precisa focar em uma coisa e ir até o fim numa coisa, em uma ideia, conhecer mais de uma coisa e impor sua ideia mais. E o sagitariano tem que entender que às vezes ele tem que deixar algo para lá, que ele não tem por que se apegar a essa ideia e pode trabalhar um pouco mais a escuta", resume Rafa.

Câncer x Capricórnio

No "eixo da segurança", de acordo com Rafa Fontenelle, temos dois signos cardinais, que começam em solstícios, e buscam a estabilidade de formas distintas, de uma maneira que pode até ser comparada ao pai e à mãe.

Câncer é um signo bastante voltado ao passado e à construção da segurança por meio de suas relações afetivas, como a mãe carinhosa, que nutre e recebe em sua casa os filhos que quer proteger e cuidar. Há uma relação de dependência do outro.

Já Capricórnio procura uma independência, construindo sua segurança de uma forma mais racional e material — por isso que dizem que eles são loucos por dinheiro! Na verdade, a busca é por estabilidade e há uma desconfiança emocional.

"Capricórnio mostra para Câncer o lado da maturidade e da busca pela estabilidade material, enquanto Câncer vem amolecer a dura carapaça de Capricórnio", resume Julio.

Leão x Aquário

Aqui temos o "eixo do ego", mas leve de um modo negativo, relacionando ao egoísmo, por exemplo. "Aqui a pergunta é 'onde eu estou?' e onde está o protagonismo", define Rafa.

De um lado, o signo de Leão, que traz a expressão única e exclusiva do ser e do espírito. Esse signo quer ser protagonista e costuma levar a luz do Sol, seu regente, a todos à sua volta, os que ele considera parte de seu reino.

Já Aquário olha o todo de fora, considerando o coletivo e como cada elemento ali se correlaciona. Regido por Saturno e Urano, ele costuma desafiar o rei, querendo derrubar o que está estabelecido.

"Em uma peça, é como se Leão fosse o protagonista e Aquário o diretor", compara Rafa. Ou seja, o leonino olha muito para o que está próximo de si, enquanto o aquariano está atento demais ao todo. "O desafio pros dois é entender que seu papel não é tudo, pois ambos se acham mais importantes, mas ambos devem olhar um para o outro e para todos os atores", explica.

Virgem x Peixes

No "eixo do serviço" temos dois signos mutáveis que ajudam os outros de formas muito distintas.

Primeiro vemos Virgem, um signo de ordem e lógica que se preocupa muito com o aperfeiçoamento e quer trazer isso ao outro por meio de suas críticas, que sempre visam a construção de uma melhoria ao outro. "Ele se pergunta como sua experiência prática e conhecimento podem ajudar", resume Rafa,

Depois temos Peixes, que traz muito mais a empatia, o sonho e entender como alguém, mesmo que longe, também está ligado a você. "A pergunta maior é como ele pode ajudar com seus sentimentos e vivências", considera.

Por fim, na convivência o virginiano aprende que nem sempre o que ele tem a trazer serve para o outro e que é preciso também empatia e fluidez nessa relação. Já o pisciano precisa entender que dá para se doar sendo mais pé no chão, sonhar sim, mas entender o que dá para fazer para tornar esse sonho algo possível.

Signos opostos se atraem?

No final das contas, nada disso é sobre romance ou grandes parcerias. "Temos uma ideia muito romantizada de almas gêmeas. O Relacionamento no mapa deve ser visto sob várias óticas, em especial planetas e casas", explica Julio Grobel.

Ele nos lembra, por exemplo, que além do ascendente, há a noção de descendente, que é o que buscamos nos outros, e essas duas casas estão em signos opostos complementares. "Uma pessoa com ascendente em Gêmeos que se relaciona com alguém de Sol em Sagitário tem seu descendente iluminado por essa pessoa, e sendo um setor de relações e parcerias há aqui uma boa afinidade. No entanto, Sol vai opor o ascendente, assim o outro pode ofuscar, ou a pessoa dar muito valor ao outro e esquecer de si", comenta.

Além disso, é importante lembrar que lidar com oposições é extremamente desafiador. "As pessoas que gostam de desafio e aprender é comum que terem relações com signos fortes opostos", considera Rafa Fontenelle.

Isso vale apenas para a posição do Sol?

Na verdade não. Julio ressalta, por exemplo, a importância de outros planetas. "O Sol, Lua, Ascendente e Meio de Céu são muito fortes, dizem muito sobre nossa identidade. Já Mercúrio, Vênus e Marte são planetas interpessoais e tem importância nas relações, pois falam respectivamente sobre como nos entendemos e nos comunicamos, nossos valores e desejos e nossa energia para brigar, namorar, perseguir as coisas e todos esses são aspectos muito importantes", enumera.

No final das contas, o mais importante é entender quais são os aspectos importantes no seu mapa astral e com isso pensar nas luzes e sombras importantes para você e seu crescimento pessoal.