PUBLICIDADE

Topo

Universa

Jovem chora ao ser impedida de usar top em avião: 'Me senti humilhada'

Jovem diz que comissária de bordo gritou e agarrou o braço dela pro causa de roupa - Reprodução/TikTok
Jovem diz que comissária de bordo gritou e agarrou o braço dela pro causa de roupa Imagem: Reprodução/TikTok

Colaboração para Universa, em São Paulo

03/08/2021 12h28

Uma mulher disse ter sido constrangida ao ser impedida de usar um top por baixo de uma blusa moletom durante um voo da Alaska Arlines, nos EUA, no domingo (1).

Sierra Steadman fez uma série de vídeos no TikTok dizendo que uma comissária de bordo pediu para ela fechar o zíper do moletom, e cobrir a parte da barriga que estava à mostra.

Um vídeo em que Steadman aparece chorando foi visto mais de 5 milhões de vezes. "Quando a comissária de bordo envergonha você na frente de todo o avião e ameaçar te expulsar pelo que você está vestindo", escreveu a jovem na imagem.

"Nunca me senti mais humilhada, envergonhada, zangada ou triste, Alaska Airlines", expressou a norte-americana.

Steadman também diz que a comissária chegou a agarrá-la pelo braço, mesmo depois que ela concordou em atender ao pedido para fechar o zíper do moletom. "Quando tentei me afastar porque ela estava gritando comigo, ela agarrou meu braço", disse.

"Roupas à parte, não havia razão para ela me agredir física ou verbalmente e me humilhar, principalmente porque eu já havia atendido ao pedido dela", desabafa Steadman.

Segundo o jornal The Independent, o código de vestimenta da Alaska Airlines declara que os passageiros precisam estar "bem arrumados" e que "os agentes de atendimento ao cliente terão autoridade para recusar passageiros por vestimentas inadequadas".

Após a repercussão do caso, a companhia aérea enviou um email com um pedido de desculpas a ela.

"Pelo que você compartilhou, é evidente que falhamos. Queremos garantir a você que levamos esses assuntos muito a sério e compartilhamos sua preocupação com nossa equipe de gerenciamento a bordo, que conduzirá uma investigação interna", escreveu a companhia.

Universa