PUBLICIDADE

Topo

Alto Astral

Júpiter retrógrado em Aquário expande o senso coletivo e pede mudanças

Júpiter é o planeta da expansão - Divulgação/Gustavo Ackles/Pixabay
Júpiter é o planeta da expansão Imagem: Divulgação/Gustavo Ackles/Pixabay

Camila Eiroa

Colaboração para o UOL

28/07/2021 04h00

Júpiter entra em Aquário no dia 28 de julho, exatamente às 9h42 pelo horário de Brasília. Retrógrado até o dia 18 de outubro, o astro promete expandir a consciência de todos em relação ao coletivo e ao senso humanitário. Afinal, Júpiter é, naturalmente, um planeta que representa as filosofias de vida e as vontades. Em Aquário, signo que traz o senso coletivo, as características do astro ficam intensificadas e voltadas ao contexto social.

"Quando falamos de Júpiter, falamos do segundo Sol do zodíaco, aquele que expande tudo que toca e, dentre as principais atribuições, tem a expansão da consciência. Então, quando Júpiter está Aquário, ele marca um período propício para essa expansão, mas em relação às nossas grandes aspirações e também a uma maneira de enxergar, com mais fé, as imprevisibilidades da vida", explica a astróloga Sara Koimbra.

Aquário é regido por Urano, um astro de inovações e também de rupturas, por isso as imprevisibilidades marcam presença. Por ser Júpiter um planeta social, essas transformações ocorrem e influenciam a sociedade como um todo.

Rupturas conscientes

"Como a gente lida com nossa fé dentro das nossas filosofias, crenças, espiritualidade, dogmas e ideais diante das rupturas e as inovações cíclicas da vida? Esse questionamento entrará em destaque a partir de agora", revela Sara. Afinal, se Aquário traz, além das rupturas e da expansão, a política, os ideais, as inovações e a criatividade, tudo isso será inflamado a partir de agora.

A astróloga destaca que as rupturas devem acontecer para que nos livremos de dogmas e conceitos ultrapassados, rumo a ideias mais inovadoras enquanto sociedade. Não devemos temer, porém, visto que Júpiter é considerado um planeta benéfico por possibilitar a clareza de ideias, ou seja, um caminho mais claro e fluido para que as mudanças aconteçam sem grandes baques.

"Júpiter evoca a racionalidade e traz, das sombras, a consciência racional sobre esses assuntos. Faz eles ficarem mais importantes, abrangendo muitas pessoas e tocando o inconsciente coletivo. Isso tornará mais fácil a racionalização desses conceitos do ponto de vista individual, inclusive", destaca Sara.

Setores social e político

A astróloga acredita que podemos esperar uma movimentação popular mais inflamada perante assuntos como pandemia, CPI e saúde. Isso porque as pessoas estarão mais racionais diante dos fatos. Ela revela que muitas coisas ocultas que tangem a sociedade podem tomar o conhecimento público e, com Aquário comandando o astro, algumas estruturas podem ser comprometidas gerando a necessidade de novos cenários.

"É possível, sim, que haja uma movimentação popular mais consciente em relação às pautas políticas e sociais do momento. Com um adendo: as contestações serão melhor fundamentadas a partir de agora, haverá mais informações e até mesmo provas como ferramenta de uma transformação maior", diz Sara.

Por Aquário ser regido por Urano, a internet pode ser muitíssimo tocada por esse trânsito, já que o astro rege não só os eletrônicos, mas a globalização. Com isso, questões globais podem virar palco de grandes questionamentos e reflexões. Afinal, Júpiter em Aquário vai expandir a consciência para que as mudanças necessárias sejam feitas, visando a evolução do todo.

"Importante lembrar que Júpiter está retrógrado, então será um período também de reavaliações em relação a tudo isso. Podemos não ter resoluções agora, mas, sim, pensamentos que se movimentam em direção a atitudes mais obstinadas e sapientes para um futuro próximo", prevê Sara.

Alto Astral