PUBLICIDADE

Topo

Diversidade

Ativista da periferia do Recife é selecionada para disputar Miss Alemanha

Domitila Barros é atriz, modelo e ativista ambiental e vai disputar concurso pela primeira vez - Reprodução/ Arquivo pessoal
Domitila Barros é atriz, modelo e ativista ambiental e vai disputar concurso pela primeira vez Imagem: Reprodução/ Arquivo pessoal

Caio Santana

De Universa, em São Paulo

28/07/2021 20h39Atualizada em 28/07/2021 22h21

A pernambucana Domitila Barros, de 37 anos, é uma das 160 mulheres selecionadas para disputar o reformulado Miss Alemanha 2022. No concurso, para além do visual, a vencedora é escolhida com base na autenticidade, diversidade e tolerância, com auxílio de votação popular. Por isso, nas duas últimas edições, o certame passou a permitir a participação de mulheres com até 39 anos, casadas, mães e aboliu o desfile de biquíni.

Nascida no Morro da Conceição e criada na Linha do Tiro, na periferia do Recife, Domitila está participando de um concurso pela primeira vez na vida e vai em busca da classificação, que passa por votação popular em outubro. "Nunca imaginava ser 'miss'. Nem 'Miss Favela'. Esse concurso foi o primeiro que me candidatei porque eu vi o foco deles, me identifiquei com a ideologia deles", afirmou a ativista em entrevista para Universa.

O Miss Alemanha (Miss Germany) surgiu em 1927 e já foi o responsável por enviar as candidatas alemãs aos principais concursos do planeta: Miss Universo, Miss Mundo e Miss Internacional. Hoje são outras organizações responsáveis por isso e as próprias mudanças do certame alemão não foram acompanhadas pelas franquias internacionais.

"O Miss Alemanha se redefiniu e não é mais considerado um concurso de beleza. É um concurso que dá espaço para mulheres visionárias, criativas e de exemplos que colaboram para o empoderamento feminino com suas atitudes, convicções, personalidades e responsabilidades", explica Domitila.

Não que o Miss Universo, por exemplo, também não faça isso em algum nível. A atual vencedora, Andrea Meza, do México, é formada em engenharia de software, vegana, dona de marca de roupas, embaixadora do turismo no seu estado e se define como ativista pelos direitos das mulheres. Contudo, o concurso ainda impõe regras como a idade máxima permitida para disputar: 28 anos, seja no Brasil ou na Alemanha.

Domitila tem 37 anos e é reconhecida pelos trabalhos sociais que desempenha. Foi selecionada justamente por isso, já que a organização do evento escolhe mulheres que possam promover mudanças reais, capacitando, inspirando e apoiando outras a partir de suas histórias de vida.

foto 1 - Reprodução/ Arquivo pessoal - Reprodução/ Arquivo pessoal
Imagem de desfile na quarta série para uma loja da comunidade Linha do Tiro, no Recife
Imagem: Reprodução/ Arquivo pessoal

Trajetória de sonhos

É difícil cravar o começo da trajetória da modelo internacional. Contudo, ela revive memórias que ajudam a traçar o caminho até seu atual momento. Aos 10 anos, ela começou a dar aulas de dança e teatro em uma ONG comandada pelos pais, em Linha do Tiro, na Zona Norte do Recife, participando de um desfile na quarta série de uma loja da comunidade. "Me achava a Gisele Bündchen naquela época".

Cinco anos depois, em 2000, foi selecionada pela Unesco e pela Disney como Sonhadora do Milênio e discursou sobre seu trabalho educacional e história de vida. Mas a menina queria mesmo ser paquita, mas se deparava com impeditivos: "O pré-requisito era ser loira, do bundão e do cabelo liso loiro. Eu não tinha nenhum desses requisitos. Para mim, essa foi a primeira barreira que eu tive que superar como ser humano criativo".

Hoje "greenfluencer", influenciadora digital com foco em sustentabilidade, a mulher já não vê limitações em seu caminho. "21 anos depois eu continuo fazendo arte, trabalhando como modelo, atriz e influenciadora digital com foco na questão de sustentabilidade", ressalta a pernambucana que também se define como "artivista", conceito que mistura arte e ativismo, e continua atuando com empreendimento social em sua cidade natal.

Uma vida alemã

"Eu saí do Brasil [também] porque minha melhor amiga foi assassinada quando tinha 12 anos. Saí por falta de opções. Sempre me senti uma mulher bonita, negra, empoderada e super talentosa. Mas o meu cotidiano me provava o contrário".

Formada em serviço social pela Universidade Católica de Pernambuco, o embarque para a Alemanha ocorreu em busca de aperfeiçoamento acadêmico com um mestrado em ciências sociais e políticas na Universidade Livre de Berlim. Lá, ela deu sua guinada na carreira como modelo e atriz.

Poliglota, a dissertação do seu mestrado foi defendida em português, alemão, inglês e espanhol. Domitila conta que também consegue se comunicar em linguagens de sinais do Brasil e da Alemanha.

Tudo isso contou para ela ser selecionada e disputar uma vaga no Miss Alemanha. "Sempre me achei bonita. Mas eu vivia em um universo que, se eu fosse em um shopping, o segurança me seguia. Demorou 37 anos para eu ser candidata a miss, mas nunca abri mão desse sonho, porque sempre acreditei que representatividade é importante".

Em abril, ela foi homenageada por seu ativismo ambiental pelo Ministério de Relações Exteriores da Alemanha, no perfil oficial do país no Instagram. Ela aparece ao lado de outras personalidades, como a médica alemã de origem turca Özlem Türeci, cofundadora da BioNTech, uma das empresas laboratoriais responsáveis pelo desenvolvimento de uma vacina contra a covid junto com a Pfizer.

Concurso

O Miss Alemanha 2022 vai promover um encontro com as 160 candidatas selecionadas em setembro. No mês seguinte, abre a votação popular on-line, aberta para todos os países, que escolherá 80 delas no site do concurso, onde é possível conferir todas as candidatas. Um júri especializado conduzirá as eliminatórias até chegar às 20 finalistas, que competirão pelo título em 19 de fevereiro de 2022, no Europa-Park.

"Eu tenho que utilizar vários canais diferentes para alcançar vários públicos diferentes com a mesma mensagem: diversidade, igualdade e sustentabilidade. É meu diferencial. O mundo é um lugar tão complicado para se viver que se eu puder fazer uma pequena coisa para contribuir, para ser um lugar mais agradável, limpo e justo, eu quero muito ser usada para fazer isso", declara Domitila.

Diversidade