PUBLICIDADE

Topo

Mães e filhos

"Mães adoecendo": influenciadora alerta para sobrecarga mental na pandemia

A influenciadora Andressa Reis, de Nova Iguaçu (RJ), com os filhos Maria Antonia, 3, e Caetano, 1;seu vídeo sobre carga mental da mulher viralizou - Reprodução/Instagram
A influenciadora Andressa Reis, de Nova Iguaçu (RJ), com os filhos Maria Antonia, 3, e Caetano, 1;seu vídeo sobre carga mental da mulher viralizou Imagem: Reprodução/Instagram

Nathália Geraldo

De Universa

20/06/2021 15h51

Mãe de Maria Antonia, 3, e Caetano, 1, a criadora de conteúdo Andressa Reis, de Nova Iguaçu (RJ), postou um vídeo no Instagram que virou febre entre as mulheres que enfrentam sobrecarga — física e mental — na criação dos filhos e no cumprimento das tarefas domésticas.

Com o título "Prazer, carga mental", o conteúdo reúne uma série de preocupações que pipocam na cabeça da mulher enquanto seu parceiro está ao lado, simplesmente despreocupado e vendo televisão.

Veja:

No vídeo, ela não consegue relaxar porque seus pensamentos são atropelados pelas tarefas a cumprir: "Caramba, acabou o arroz! Puxa, deixei roupa na máquina, amanhã eu estendo, na hora da soneca das crianças! Será que chove? Agora nem sei se o boleto que eu paguei foi desse mês ou do mês passado...".

O vídeo viralizou e foi compartilhado, entre outras pessoas, pela advogada e apresentadora Gabriela Prioli e pela influenciadora Gabriela Oliveira, a Gabi de Pretas.

"Fiquei honrada por ter tido tanta identificação das mulheres, mas preocupada também. Porque essa carga mental é uma realidade que não gostaríamos de estar vivendo", contou Andressa a Universa.

Carga mental das mulheres: por que não há divisão?

Andressa, que fala sobre os desafios de ser mulher, maternidade, autoestima em seu perfil, diz que a ideia do vídeo era mostrar a diferença de comportamento entre homens e mulheres em relação às atividades domésticas.

"A grande maioria das mulheres não consegue delegar, precisa arquitetar tudo e está sempre cansada, inclusive adoecendo e desenvolvendo depressão por essa razão", diz." No vídeo, mostro que aquelas que têm companheiros também não conseguem parar, mesmo quando deveriam estar descansando, deitadas. O resultado é ficar pensando nas milhares de demandas que precisam atender."

"Divisão de tarefas de casa se estendeu à questão dos filhos"

Há 12 anos em um relacionamento com o fisioterapeuta Sergio Carolino, Andressa diz para Universa que o conteúdo não foi baseado em sua própria vida familiar, mas "inspirado nos relatos e na convivência com outras mulheres", inclusive de sua mãe e sogra.

andressa reis - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
"Não é minha realidade, mas me inspirei no relato e na convivência com mulheres", conta Andressa, que divide as tarefas de casa e demandas dos filhos com o parceiro, Sergio Carolino
Imagem: Reprodução/Instagram

"Felizmente, tenho um companheiro que divide comigo a responsabilidade da casa, porque ele também mora nela. Isso se estendeu para as atividades com os filhos e a carga mental [que eles provocam]. Mas recebo muitos relatos de quem cuida dos filhos, da casa. Isso recai sobre muitas mulheres, que ainda hoje acham que esse é o papel delas", alerta.

No Instagram, a criadora de conteúdo recebeu muitos comentários de mulheres que se identificaram com a situação — e que buscam ser "mães possíveis", principalmente durante a pandemia. "Lá, compartilho minha rotina de ser mãe, que é minha principal função. Mas também toco em temas como autoestima e expectativas sociais que são colocadas sobre a mulher. Outro foco é falar sobre a importância da rede de apoio, que é fundamental para conseguirmos dar conta das demandas com os filhos".

Jornadas múltiplas

Já faz um tempo que mulheres, principalmente as que são mães, falam sobre como cuidar da casa, dos filhos e do trabalho faz com que as preocupações se multipliquem em seu dia a dia, diferente do que acontece na rotina masculina.

Seja considerando tripla, quadrupla ou múltipla jornada, fato é que, na sociedade, as mulheres são cobradas por tentar dar conta de tudo. É o que explicou a psicanalista Maria Homem em entrevista para Universa.

"As teóricas americanas começaram a trazer nas últimas décadas a definição do 'emotional label', o trabalho emocional ou carga mental. É quando o homem pode dizer que cuida da casa também, mas continua no 'Amor, onde está o detergente, onde tem pano?'. Tem um trabalho de gestão da mulher que era mais invisível, e que fica visível agora [com a pandemia]. E ele passa por dividir, porque não tem como a mulher não gastar energia com essa gestão", pontuou a especialista, em setembro do ano passado.

Foi com base nessa realidade que Andressa resolveu criar o vídeo sobre as angústias comuns a quem vive a maternidade. Na legenda, escreve sobre como a organização das tarefas e pendências não deve ficar só sob a responsabilidade da figura feminina da família.

"Esse trabalho invisível e pouco valorizado de planejamento e tomadas de decisão que garante o bom funcionamento da casa é o que faz com que mulheres, sobretudo mães, estejam sempre 'on'.

Não é sobre lavar pratos e trocar fraldas. É sobre sair do papel de operário e assumir de forma igualitária não só a execução, mas também o planejamento.

*Com informações da matéria Psicanalista compara lar a microempresa e defende remuneração para mulher

Mães e filhos