PUBLICIDADE

Topo

Stalkeadas

Um olhar diferente sobre o que bomba nas redes sociais


Stalkeadas

Aos 73, ela virou meme dando dicas: "Não se cobre tanto; você não é agiota"

A carioca Regina Rouca, 73, conhecida como Mamãe Rouca, viralizou postando frases do dia - Reprodução/Instagram
A carioca Regina Rouca, 73, conhecida como Mamãe Rouca, viralizou postando frases do dia Imagem: Reprodução/Instagram

Luiza Souto

De Universa

19/06/2021 04h00

"Hoje não vou conseguir falar com você porque estou um pouco rouca. Gravei muito ontem", avisa Regina Helena Souza, 73, numa tarde de domingo em que marcou de conversar com Universa.

Com quase 50 mil seguidores no Instagram conquistados em pouco mais de um mês, a moradora do Méier, no Rio de Janeiro, que faz sucesso postando vídeos com um conselho do dia que termina com seu bordão "Se liga, hein!", só agora teve orgulho da voz grave. E não para mais de falar!

"Fumei por 33 anos e parei depois de descobrir um enfisema pulmonar, há 19. Por isso minha voz foi ficando assim", ela justifica. "Meu tom de voz é muito forte. Antigamente evitava falar no meio da rua porque todos olhavam. Uma vez, no ônibus, ouvi o trocador perguntar se eu era homem ou mulher. Aquilo me deu uma raiva tão grande que dei com a bolsa na cara dele. Então tinha horror da minha voz, mas quando começou tudo isso de vídeo e as pessoas passaram a brincar, passei a ter orgulho."

Em maio, um vídeo de Regina gravado pelo filho Rafael, viralizou. Nele, o ator faz uma pegadinha e Regina responde com palavrões. A brincadeira viralizou:

"Meus amigos começaram a falar que me viram. Até uma amiga que mora nos EUA mandou mensagem e comecei a ficar com vergonha."

Com a repercussão, seus três filhos, de 43, 42 e 36 anos, a incentivaram a gravar mais vídeos. Faltava saber exatamente o formato, mas ela, de imediato, recorreu às anotações que faz de frases e conselhos que costuma ouvir. Muitas são lembranças de ditados populares que a mãe repetia. Nasceu assim o "A frase do dia é...". Já o "se liga, hein" é recorrente quando ela dá bronca nos filhos, diz, rindo.

"Às vezes me foge uma frase na hora, não vem nada na cabeça. Não tenho essa sabedoria toda, e aí procuro no Google mesmo", ela entrega. "Tem hora que fico doida. Hoje, por exemplo, já estou pensando na de amanhã, porque as pessoas me cobram."

E quando não tem frase, entram as perguntas. Por causa das inúmeras mensagens que recebe, Regina separa um dia na semana para responder a algumas curiosidades dos seguidores, que já apelidaram a carioca de "mãe", "mamãe", "vovó".

"O povo pergunta de tudo, sobre esmalte preferido, se gosto de macarronese com ou ou sem maçã. Às vezes tem cem perguntas e fico cansada, então respondo 30. Mas preciso fazer isso, senão cobram."

Mas nem tudo é só brincadeira. Infelizmente, Regina acaba recebendo também mensagens desnecessárias e desrespeitosas. "Não respondo e apago. Mas na próxima vez denuncio a conta", diz ela, casada com um servidor público federal aposentado há 46 anos.

Animada com a repercussão, Regina começa a colher os frutos dos vídeos caseiros. No Dia dos Namorados, ela, que nunca trabalhou, gravou uma série de chamadas para uma marca de cerveja, publicada nas redes mesmo.

"Foi só essa campanha que fiz e te juro por tudo quanto é mais sagrado que não sei quanto pagaram. Meu filho combinou tudo e falou que não é muita coisa. E também me deram mesa com quatro cadeiras, oito caixas de cerveja e cinco chapéus."

Regina também ganhou as ruas do Méier. Mesmo andando pela região boêmia de máscara, diz que é parada quando abre a boca para falar algo."Sou suburbana, a pessoa mais simples que você possa imaginar, e a coisa cresceu de uma tal maneira que as pessoas querem até dar presente", entrega.

Já abusando dos mais de 40 minutos que ficou no telefone com a reportagem, Universa aproveitou para perguntar a Regina qual a frase do dia para as mulheres. E não é que ela gravou até vídeo? Se liga, hein!

Stalkeadas