PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Fios soltos e sem oleosidade: argila merece entrar na rotina do seu cabelo

Argila consegue absorver impurezas do couro cabeludo - Getty Images
Argila consegue absorver impurezas do couro cabeludo Imagem: Getty Images

Jessica Arruda

Colaboração para Universa

19/06/2021 04h00

Que a argila faz maravilhas na rotina de beleza da pele todo mundo já sabe. Mas é possível ir além e aproveitar os benefícios da argiloterapia também nos cuidados com o cabelos. À primeira vista, pode parecer uma maneira improvável de remover a sujeira nos fios, mas acredite: preta, verde ou vermelha, cada uma delas carrega características particulares que ajudam no tratamento do couro cabeludo, área fundamental para a saúde dos fios.

A dermatologista Luciana Passoni, especializada em tricologia, explica que a argila consegue absorver as impurezas do couro cabeludo, agindo como uma máscara ou pré-xampu natural. "As propriedades da argila funcionam como um 'peeeling' capilar, esfoliando a região", afirma.

Detox capilar com argila

Não é à toa que a argila está presente nos processos de detox capilar. Ela é um ingrediente extraído do solo e rico em minerais, como o magnésio, zinco e selênio, que têm ação antioxidante. Como resultado, consegue equilibrar o pH da região, controlar a oleosidade e, consequentemente, tornar os fios mais soltinhos, leves. Para ser usada sem prejuízos, entretanto, é preciso que seja do tipo fitoterápica.

"A argila verde, por exemplo, é a mais indicada para fios oleosos e mistos pela ação adstringente", explica Ney Bilk, cabeleireiro do Expert Beauty Center, em Curitiba. Mas as outras cores também são válidas, como a preta, que acumula a maior quantidade de minerais e a vermelha, mais suave.

Máscara de argila para o couro cabeludo

Independentemente da tonalidade, a aplicação no couro cabeludo deve ser feita com um pincel, seguida de uma leve massagem com as pontas dos dedos para estimular a circulação sanguínea local. É importante que não seja usada com os fios muito sujos — o "dia seguinte" é um bom momento.

Para a mistura, dissolva a argila em água filtrada até obter uma pasta cremosa e homogênea. A quantidade, é claro, vai depender da extensão em que será aplicada.

"Também é possível incluir algumas gotinhas de óleos apropriados para o cabelo, como o de argan, para incluir o potencial de hidratação. Coloque uma quantidade que não comprometa a consistência da mistura: nem tão líquida, para que não escorra, nem tão densa que fique difícil de aplicar e remover", recomenda a médica tricologista.

Depois de passar a mistura em toda extensão do couro cabeludo, aguarde de 15 a 20 minutos e remova a argila com água morna. Siga a lavagem como de costume. O truque para facilitar a retirada é não deixar secar. Vale borrifar água ou água termal para ajudar na umidade.

Não há contraindicação no uso, apenas na frequência. Luciana indica uma aplicação quinzenal. Segundo ela, o uso excessivo pode remover a oleosidade natural dos fios — além de torná-los quebradiços em razão da fricção frequente para limpar a pasta da raiz.

Também é importante ficar de olho nas certificações. "Na hora de comprar sua argila, verifique se ela é esterilizada. Se for orgânica, melhor ainda. Às vezes, as pessoas acham que podem pegar qualquer argila natural e colocar no rosto, corpo ou cabelos. Não é assim: a argila que está no meio ambiente pode ter microrganismos nocivos à pele, pode estar contaminada com fungos e bactérias", finaliza.

Beleza