PUBLICIDADE

Topo

Alto Astral

Primeiro eclipse do ano, em Sagitário, indica fanatismos e pede lucidez

Primeiro eclipse do ano acontece em Sagitário - Kelly Sikkema/Unsplash
Primeiro eclipse do ano acontece em Sagitário Imagem: Kelly Sikkema/Unsplash

Camila Eiroa

Colaboração para Universa

26/05/2021 04h00

Neste 26 de maio a Lua cheia chega acompanhada de um eclipse lunar total no signo de Sagitário. O fenômeno acontece às 08h31 pelo horário de Brasília e seus efeitos poderão ser sentidos por até 5 meses, ainda que a intensidade seja maior nas semanas seguintes de seu acontecimento.

A astróloga Maria Eunice Sousa explica que todo eclipse é importante, mas o fato desse ser total o torna ainda mais potente. Isso significa que a Lua será totalmente encoberta pela sombra da Terra, ficando na escuridão.

"O eclipse de maio ativa bastante o eixo de Sagitário e Gêmeos, que tem a ver com o lado racional versus o lado intuitivo. Por isso, sugere que teremos de lidar com coisas do passado e olhar para o que não foi concluído. Embora estejamos sendo puxados a agir de forma dogmática, o eclipse pede para agirmos com muita lucidez e objetividade. Também sugere uma polarização muito forte de ideias", comenta a astróloga.

Segundo ela, a principal mensagem de todos os eclipses que estão acontecendo atualmente é sobre a necessidade evitar os excessos de fanatismo e, sobretudo, as atitudes inconsequentes. Isso vale principalmente para os setores da política e da espiritualidade, que deverão ser inundados com mais razão e menos exageros.

"É um chamado para a gente agir de forma racional e evitar os excessos de crendices que são usados para justificar atitudes irresponsáveis. Sabe essa coisa fanática de 'vou agir assim porque Deus cuida de mim'? Precisamos tomar cuidado com aquilo que não tem nenhuma conexão com a realidade e será necessário lidar com os fatos da forma que eles são, sem fantasias", explica Maria Eunice.

Efeitos para o Brasil

Segundo ela, posições ideológicas também estarão na mira, sinalizando um período de dogmatismo e caos. Para o mapa astral do Brasil, isso pode simbolizar crises na saúde e falta de recursos para as instituições públicas. Pode, também, representar um período de rupturas e crises diplomáticas.

"Isso acontece porque o eclipse cai na casa 10 do mapa natal do Brasil, fazendo oposição à Lua natal do país, que rege a casa 6, responsável pela saúde. Além disso, também fará oposição com Júpiter, que rege a casa 2 e a casa 11, responsáveis pelos recursos e instituições, respectivamente. Considerando o contexto de pandemia, isso significa o agravamento de crises já existentes", conta.

O risco maior com o eclipse, segundo a astróloga, é que a população, ao invés de se resguardar e pensar em suas responsabilidades, tenha atitudes irresponsáveis. Além disso, como a série do fenômeno enfatiza a polarização dos extremismos e o acirramento de posições ideológicas, é possível que entraves entre governantes e população ocorra, além de conflitos com parceiros internacionais.

Previsões pessoais

Individualmente, o eclipse vai ativar questões espirituais e as crenças que carregamos e a astróloga acredita que é o momento de deixar crenças antigas para trás e rever a forma como a gente vive a nossa espiritualidade, liberando padrões e crenças antigas. "Com tudo isso, será importante a gente se resguardar e tentar ao máximo não entrar nessas polarizações. Afinal, com a influência de um eclipse, tudo fica mais intenso, mesmo que de maneira inconsciente."

Maria Eunice destaca que os signos mais tocados serão Sagitário, Gêmeos, Virgem e Peixes, mas é importante ver onde o eclipse cai no mapa astral de cada indivíduo. "O eixo Gêmeos e Sagitário também rege a comunicação e as ideias, então nossa relação com o nosso ambiente imediato, como família e vizinhança, entra em destaque. Bem como todos os processos da nossa mente e nossa busca por expansão."

Nenhum eclipse acontece sozinho. Geralmente eles acontecem em par ou em trio. O próximo eclipse, que complementa a energia deste, acontece no dia 10 de junho e será solar, no signo de Gêmeos. "Conjunto a Mercúrio, que estará retrógrado, mais uma vez as instituições de saúde serão ativadas. Além disso, o fenômeno mostra enfraquecimento para o poder executivo e muitos equívocos", conclui a astróloga.

Alto Astral