PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Pele lisinha em minutos: escovação a seco trata e relaxa ao mesmo tempo

Escovação corporal a seco - Cottonbro/Pexels
Escovação corporal a seco Imagem: Cottonbro/Pexels

Isabella Marinelli

De Universa

14/05/2021 04h00

Nos últimos anos, a influência da medicina Ayurveda se firmou como uma das grandes tendências do universo da beleza e do bem-estar. Relatórios de comportamento do consumidor, como os produzidos pelo bureau Mintel, já apontavam para o desejo de retomada dos rituais holísticos e milenares como práticas cotidianas de autocuidado. Entre os mais simples de se incluir na rotina, está a escovação corporal a seco, um método que se aproveita da estimulação mecânica com cerdas naturais para provocar uma esfoliação na pele e ativar a microcirculação local. Também pode ser benéfica para quem sofre com pelos encravados em razão da depilação ou sensação persistente de aspereza.

Pele suave com movimentos simples

"Ela é responsável pela renovação celular a partir da remoção da camada externa, chamada de córnea. Pode ser feita a partir dos pés em movimento ascendente", explica a dermatologista Patricia Silveira, do Rio de Janeiro. Suba em direção à bacia, passando pelas panturrilhas, coxas, quadril e barriga. Pule, então, para os braços e costas. Seios, colo, pescoço e rosto devem ser evitados.

Para que o momento seja relaxante e semelhante a uma massagem, é importante dosar o nível de força. A ideia é que não cause traumas, mas, sim, uma sensação revigorante e energizante.

Como o nome adianta, a pele não deve estar molhada com água ou qualquer cosmético. "As escovas mais tradicionais para o processo são as de bambu com cerdas naturais, que são mais macias", explica. As manobras devem ser circulares e ascendentes sem movimento de fricção para frente e para trás.

Na sequência, a tradição pede que seja feita a umectação da pele com óleo vegetal. Se for para o banho, prefira temperaturas mornas. Na saída, aplique um creme denso. "É expressamente indicado que ela seja finalizada com a hidratação", afirma Patrícia.

O hábito pode entrar na rotina semanal ou quinzenal do cronograma de skincare e substitui a esfoliação com cremes de partículas sólidas ou fórmula enzimática. Vale prestar atenção à resposta do organismo para tomar essa decisão, mas, em geral, peles secas pedem aplicação mais espaçada.

escovação a seco - Cottonbro/Pexels - Cottonbro/Pexels
É imprescindível finalizar a escovação a seco com uma boa camada de hidratante ou óleo vegetal
Imagem: Cottonbro/Pexels

Quem não pode fazer?

Pessoas com doenças ou alergias de pele ativas e sensibilidade exacerbada devem evitar a escovação a seco, bem como qualquer outro tipo de atrito mecânico. "Dermatites em fase de coceira ou crise são impeditivos. Urticárias também não podem ser ignoradas, pois a fricção piora as lesões", explica a especialista.

Para a dermatologista Nura Ayoub, de São Paulo, é preciso ainda muito cuidado para não exagerar na agressão e tornar a pele ainda mais seca.

"A camada lipídica da superfície nos protege de infecções oportunistas, como aquelas causadas por fungos e bactérias, e não deve ser retirada completamente ou ameaçada sem hidratação adequada ao final", diz.

Beleza