PUBLICIDADE

Topo

Alto Astral

Ano novo das Bruxas acontece hoje e é dia propício para honrar os mortos

Conheça Samhain, o Ano Novo das Bruxas  - Freestocks
Conheça Samhain, o Ano Novo das Bruxas Imagem: Freestocks

Camila Eiroa

Colaboração para o UOL

01/05/2021 04h00

Quem disse que o Halloween acontece, necessariamente, no dia 31 de outubro? Se remontarmos às origens dessa comemoração, iremos chegar às práticas pagãs de celebrar a passagem das estações do ano com ritualísticas típicas. Essas celebrações eram feitas principalmente pelos Celtas, um conjunto de povos originários de regiões da Europa e da chamada Ásia menor, onde hoje é a Turquia. Ao se conectarem com as estações do ano, esses povos honravam a ciclicidade da natureza.

Uma dessas festividades, talvez a mais conhecida, é Samhain, celebração histórica que deu origem ao Dia das Bruxas. Por marcar o ápice do outono e a aproximação do inverno, o que no hemisfério norte acontece entre o dia 30 de outubro e 1º de novembro, era o momento de se preparar para os tempos mais frios e escuros proporcionados pelas baixas temperaturas e pela distância do Sol em relação à Terra.

"O Samhain traz essa energia de finalização e de abertura para o novo. O tempo celta não é linear, as coisas terminam para que surjam de uma outra forma. Reflete bastante os ciclos da vida: alguém morre, mas alguém nasce ao mesmo tempo", explica a bruxa Lua Serena, criadora do Instituto Mãe Terra.

Morte e renascimento

Lua conta que todo esse movimento de morte e renascimento está bastante relacionado ao verdadeiro Dia das Bruxas. "É o fim e a preparação para o novo. Porém, a gente só pode agarrar o novo se nossas mãos estiverem vazias. Por isso o Samhain era considerado o ano novo para esses povos e, também por isso, até hoje é chamado de Ano Novo das Bruxas", diz.

Aqui no Brasil e em todo o hemisfério sul, a correspondência de Samhain acontece entre os dias 30 de abril e 1º de maio, quando estamos no ápice do outono e nos preparamos para a chegada do inverno. Por isso, as energias da natureza na época do Halloween não correspondem exatamente às energias que deram origem a essa comemoração.

Historicamente, Samhain é o tempo de nos conectar com aqueles que já partiram, pois acredita-se que o véu entre o mundo material e o espiritual esteja mais fino nestes dias. Vem dessa crença, inclusive, o uso de fantasias e de abóboras com velas na decoração do Dia das Bruxas. "É o momento em que podemos nos conectar com nossos amados que já se foram. É como se fosse um grande portal, quando a comunicação com outros planos fica mais fácil", explica a bruxa.

Gratidão e solidariedade

Lua lembra, porém, que o hábito de acender velas nas janelas — em abóboras, ou não — também se deve ao fato de o Ano Novo das Bruxas ser o momento ideal de firmarmos nossas proteções, inclusive no que diz respeito aos nossos lares. "Ao colocar uma vela na janela durante a noite de Samhain, a luz do fogo nos protege do que não é visível aos olhos, mas também ilumina o caminho de espíritos errantes, para que sigam as luzes e não entrem nas casas."

As principais energias de Samhain permeiam a gratidão pelos tempos vividos e o fortalecimento pelos tempos que estão por vir. A data carrega, como simbolismo, a necessidade de deixar morrer aquilo que não nos serve mais, dentro de uma escala emocional, para abrir passagem a novos aprendizados e vivências. Por isso, Lua Serena acredita que é bastante importante se conectar com essa passagem da natureza, principalmente neste momento de dificuldade em meio à pandemia e a morte de pessoas queridas.

"A gente não precisa se fantasiar, nem nada do tipo. Uma prece já ganha força especial em Samhain. Além disso, não precisa ser bruxa ou bruxo para se conectar com a energia da gratidão e com a própria natureza. Afinal, não existe o 'fora', nós temos uma roda do ano interna que, naturalmente, faz com que a gente se conecte com as estações do ano e observe as energias que elas nos proporcionam", relata a bruxa.

Adaptações

Embora no Brasil não tenhamos um inverno tão rigoroso, Lua lembra que ainda assim há pessoas em situações de rua que morrem de frio até hoje. Por isso, Samhain nos convida a olhar para o momento com mais solidariedade, agradecendo o que temos e proporcionando, aos que não têm, o alimento e a proteção contra o frio.

"Samhain traz essa energia de coletividade, é uma comemoração de amor. Momento de estarmos entre os nossos e ajudarmos os que não têm amparo. Por isso, não tem nada de sombrio como estamos acostumados a ver em filmes de terror sobre o Dia das Bruxas. É relembrar o mais bonito da nossa condição humana: o altruísmo. E isso não fere, nem deveria ferir, nenhuma outra fé ou crença espiritualista", finaliza Lua.

Alto Astral