PUBLICIDADE

Topo

Minha história

"Descobri que meu namorado era casado e que a mulher dele estava grávida"

Rafa Melara dividiu a história pela primeira vez no TikTok - Acervo pessoal
Rafa Melara dividiu a história pela primeira vez no TikTok Imagem: Acervo pessoal

Rafa Melara, em depoimento a Ana Bardella

De Universa

28/04/2021 04h00Atualizada em 28/04/2021 14h36

"Moro desde pequena em Santa Catarina: cresci na cidade de Brusque, porém, aos 20 anos, me mudei para Balneário Camboriú para estudar. Ainda era nova naquele ambiente e estava conhecendo os bairros quando uma amiga, que tinha acabado de conhecer, me chamou para ir a uma balada, uma das mais famosas do momento. Lá, conheci um rapaz um pouco mais velho, de 26 anos, que estava sozinho. Ficamos durante a festa, trocamos os nossos contatos e continuamos nos falando.

Marcamos de nos encontrar outras vezes e as coisas começaram a acontecer de uma forma intensa e rápida: em questão de dias, estávamos namorando. Ele frequentava a minha casa e passávamos quase todas as noites juntos. Por causa da nossa convivência intensa, ele conhecia todos os meus amigos. Também tive a oportunidade de apresentá-lo para a minha família: meu pai, minha mãe, minha irmã. Era uma pessoa carinhosa e, apesar do pouco tempo, fomos construindo uma relação bastante séria e de confiança.

Havia somente um fator que me deixava intrigada: em dois meses de namoro, ele nunca havia me chamado para conhecer sua casa. Sempre que tocávamos nesse assunto, ele desconversava. Nesse período, também não fui apresentada a nenhum familiar, somente a um amigo. Claro que ficava curiosa sobre isso, mas nem adiantava fuçar as redes sociais: no Facebook, ele não postava absolutamente nada. Como estávamos sempre juntos, no entanto, eu achava que não tinha motivos para me preocupar.

"Fiquei horas esperando na rodoviária"

Durante um fim de semana, voltei sozinha para minha cidade, a fim de visitar meus pais. Um pouco antes de retornar, mandei mensagem pedindo que ele fosse me pegar na rodoviária — e recebi a confirmação de que tudo bem. O problema? Assim que cheguei, vi que ele não estava lá. Passei quase uma hora esperando e nada. Dei um jeito de voltar sozinha, mas meu coração estava agoniado. Comecei a ligar para sem parar, pensando que algo pudesse ter acontecido. Passei a noite em claro tentando, mas chegou um momento que só caía na caixa postal.

Na manhã seguinte, recebi uma ligação. Quando atendi, era uma mulher. Ela perguntou: 'Você é a Rafaela, a namorada?', e confirmei que sim. Então ela simplesmente disse: 'Liguei só pra contar que ele é casado e vai ter um filho. E que eu gostaria que você deixasse-o viver esta fase'. Na hora, o susto foi tão grande que não soube o que responder. Disse apenas que tudo bem e logo em seguida desliguei.

Estava magoadíssima quando finalmente ele me atendeu. Disse que tinha um assunto para tratar, que era urgente e que precisava ser pessoalmente. Ele veio imediatamente e não deixei que subisse para o meu apartamento. Assim que nos vimos, perguntei: 'É verdade tudo isso?'. E ele balançou a cabeça em confirmação. Ali, foi como se o mundo tivesse desabado. Não sabia como tanta coisa podia ter passado despercebida.

"Hoje tento lidar com meu lado desconfiado"

Na hora, ele começou a pedir um milhão de desculpas e abriu o jogo: quando me conheceu, a mulher já estava grávida, tanto é que o bebê estava próximo de nascer. Nosso envolvimento aconteceu durante um breve rompimento dos dois — por isso ele conseguia passar tantas noites ao meu lado. Porém, conclui que, conforme o parto se aproximava, eles se viram obrigados a resolver a situação. Foi uma sensação horrível.

Mesmo com a insistência para ficarmos juntos e todos os planos de separação que ele jurava que existiam, preferi terminar a relação. Soube, depois de um tempo, que eles reataram e terminaram poucos meses depois. Enquanto isso, eu tentava me recuperar do trauma: passei um período arrasada e, quando voltei a me relacionar, tive problemas para confiar novamente.

Hoje, aos 33 anos, por mais que eu entenda que cada caso é um caso e que nem todas as pessoas são capazes de mentir, já tive outros envolvimentos problemáticos e tento lidar com meu lado desconfiado da maneira mais saudável possível. Sei que não é justo comparar as experiências."

Minha história