PUBLICIDADE

Topo

Stalkeadas

Um olhar diferente sobre o que bomba nas redes sociais


Stalkeadas

Comercial de marca de beleza com rap exaltando cabelo liso recebe críticas

Campanha Salon Line "Meu cabelo é liso e o papo é reto", com Vanessa Ferreira - Divulgação/Daniel Klajmic
Campanha Salon Line "Meu cabelo é liso e o papo é reto", com Vanessa Ferreira Imagem: Divulgação/Daniel Klajmic

De Universa

28/04/2021 14h22Atualizada em 29/04/2021 11h28

Na manhã desta quarta-feira (28), a marca de beleza e cosméticos Salon Line recebeu críticas à campanha "Meu cabelo é liso e o papo é reto" que divulgou nas redes sociais. Com um rap de tom ativista cantado pela artista indígena Katu Mirim, a empresa promoveu um discurso de afirmação dos cabelos lisos, destacando que os fios não são todos iguais. "Eu não preciso de padrão. É só hidratação, restauração", diz um trecho da rima interpretada pela rapper.

O comercial conta com mulheres negras, asiáticas e brancas, de diferentes corpos, mostrando os fios lisos. No YouTube, no Instagram e no Twitter, a proposta de colocar quem tem o cabelo nessa textura em contraste com o "padrão de beleza" foi bastante questionada.

A cantora Teresa Cristina foi uma das famosas que se posicionaram sobre o lançamento, em um tweet:

No material de divulgação da campanha, em 20 de abril, o diretor de criação da Salon Line, Alexandre Manisck, explicava que o objetivo da ação. "A gente queria trazer uma força, então trouxemos um rap com a Katú, uma letra incisiva, com um histórico de música de protesto. Fazendo um contraponto, trabalhamos em evidenciar a personalidade do cabelo liso e também a potência da mulher em si. E também, queremos mostrar a força de Meu Liso, que vem crescendo e ganhando espaço a cada dia mais entre as consumidoras", afirmava. Universa procurou a marca para comentar a repercussão negativa da campanha, e a matéria foi atualizada com a mensagem enviada à Reportagem no final da tarde de quarta (leia no final).

"Meu cabelo é liso e o papo é reto"

Na música, Katu Mirim defende que "cabelo liso não é tudo igual" e que fazer comparações entre as mulheres que os têm não é benéfico. A partir daí, a marca pede respeito "a todas as minas" e afirma que todo cabelo é expressão. Em uma das partes, em que a rapper é uma porta-voz dos cabelos lisos, a letra destaca que "não precisa de padrão. É só hidratação, restauração e brilho na cabeça e na vida."

No YouTube, o material contava com comentários negativos à escolha de marketing da Salon Line. "Queria saber em qual momento da história o cabelo liso foi julgado, desrespeitado ou sofreu preconceito? Porque só lembro dele sendo padrão de beleza", escreveu uma seguidora.

"Ridículo, não gostei. Ta deboche com a minha cara? Eu NUNCA vi ninguém ser desrespeitado por ter cabelo liso. Parece deboche com meu crespo", argumentou outro. "Achei que cabelo liso era o padrão e não ao contrário. Pra que militar com cabelo liso?", questionou outra.

yasmin coelho - Divulgação/Daniel Klajmic - Divulgação/Daniel Klajmic
Campanha da marca Salon Line foi divulgada nas redes sociais e no Youtube. Na foto, Yasmin Castilho
Imagem: Divulgação/Daniel Klajmic

A campanha também movimentou o Twitter. Os questionamentos se dão por conta de a peça publicitária ser baseada em um rap, expressão cultural historicamente negra, e pelo fato de valorizar a existência dos cabelos lisos "que não precisam de padrão", enquanto pessoas de cabelo crespo ou cacheado são cotidianamente vítimas de perseguição e preconceito por conta dos fios naturais. Parte dos usuários estranhou a publicidade, enquanto outros elogiaram o elenco escolhido, mas não a mensagem da música:

resposta katu mirim - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Resposta de Katu Mirim em publicação do site Mundo Negro sobre letra da música
Imagem: Reprodução/Instagram

Em um post do site Mundo Negro sobre o caso, a rapper Katu Mirim se posicionar sobre a letra do rap. "Sou indígena, sapatão e periférica e fiquei feliz em receber um convite onde seria a protagonista sem reforçar estereótipo (...). No momento que recebi a letra, fiz algumas alterações. A letra teve como base minha vivência, com um cabelo com dread e, por isso, falei que cabelos lisos são diferentes."

O comunicador e apresentador AD Junior foi ao Instagram para comentar a divulgação da marca. Compartilhando o mesmo post, ele fala em tom de brincadeira sobre o "empoderamento do liso" e, em seguida, manda um recado para Salon Line.

"Dá pra criar uma campanha linda para os cabelos lisos... Realmente dá, que seja autêntica e super inclusiva ao mesmo tempo. Não existe na história da humanidade uma leitura sobre o cabelo liso visto como feio, e ninguém nunca desrespeitou o cabelo liso... Inclusive vender cabelo liso é um mercado de bilhões de dólares."

Já a colunista de Universa e produtora de conteúdo digital Ana Paula Xongani analisou a questão por outra perspectiva, destacando a identidade de Katu Mirim. "Quanto escutamos uma pessoa indígena dizendo 'fios diferentes uma só voz, respeitem todas as minas olha pra nós', eu acho que a gente tem que ouvir, e respeitar!"

O que diz a Salon Line

Em nota enviada para Universa, a empresa disse que sabe que pessoas com cabelo liso não são alvo de preconceito e opressão. "A ideia da campanha, não é uma contraposição do cabelo liso ao crespo, o intuito é exaltar o empoderamento da mulher como um todo, respeitando sua liberdade de escolha de modo geral".

A Salon Line diz ainda que respeita a luta contra o preconceito sofrido por mulheres que têm o cabelo afro, crespo ou cacheado, ao ter linhas de produtos para essas texturas de fio e em campanhas e conteúdo nas redes sociais. A empresa ainda afirma que entende "que a mulher, por ser mulher, sofre preconceito em escalas e graus diferentes, seja mudando a cor do cabelo, cortando, raspando. A mulher sofre preconceito também pelo tipo físico, orientação sexual, tom da pele e estilo de vida" e que todas têm direito a ter o cabelo que desejarem.

Stalkeadas