PUBLICIDADE

Topo

Stalkeadas

Um olhar diferente sobre o que bomba nas redes sociais


Stalkeadas

"Sereia não tem cor": conheça Jessica Córes, a Iara de "Cidade Invisível"

Jessica Córes conta que não sabia nadar quando aceitou interpretar a sereia Iara - Vinicius Mochizuki
Jessica Córes conta que não sabia nadar quando aceitou interpretar a sereia Iara Imagem: Vinicius Mochizuki

Ana Bardella

De Universa

10/04/2021 04h00

Basta pesquisar pelo nome de Jessica Córes no Twitter para perceber ela é adorada pelo público de 'Cidade Invisível', tanto no Brasil quanto nos outros países nos quais a série da Netflix foi disponibilizada. Na produção, que tem como pano de fundo o folclore brasileiro, a atriz interpreta a sereia Iara, protetora das águas, que encanta através da voz e do olhar.

Aos 30 anos, Jessica confessa à Universa que Iara é o personagem de maior xodó da sua carreira. "Não é todo dia que se pode interpretar uma sereia", brinca.

Comentários racistas

Em 2019, outra jovem atriz negra foi escalada para interpretar uma sereia. A americana Halle Bailey, de 21 anos, foi personagem principal do live action de "A Pequena Sereia" e, na ocasião, foi alvo de comentários racistas, que afirmavam que a princesa Ariel não poderia ser vivida por uma mulher negra. O caso indignou Jessica.

O que mais me pegou foi esse questionamento: desde quando sereia tem cor? Qual é a questão aí? Mas sou muito otimista. Acho que estamos conseguindo quebrar muitos paradigmas, apesar de ser uma luta constante

Se hoje a atriz tem a oportunidade de interpretar uma personagem que chama atenção de crianças e adolescentes, na sua infância, sofria com a falta de representatividade. "Quando eu era mais nova, só tinha aquela referência da Xuxa, da Angélica. Eram elas que eu queria assistir", relembra.

Hoje, apesar de muito elogiada por sua beleza, a atriz confessa que ainda encara questões relacionadas à autoestima.

"Quando era pequena, o filho do síndico me chamava de 'choque', mas eu não entendia que era por causa do meu cabelo. Esse é um exemplo de questão continua me atingindo até hoje. Recentemente, fui fazer uma campanha publicitária. No briefing havia fotos minhas com diferentes cabelos: algumas do meu natural, do tipo 4C, e outras usando uma peruca cacheada. Na reunião, o cliente perguntou qual dos dois iríamos usar: 'aquele cabelo', se referindo à peruca, ou 'isso' se referindo aos meus fios naturais", conta.

Apesar disso, também reflete sobre questões que foram superadas. "Sou muito esguia, uma mulher longa, alta. Hoje aproveito isso, acho lindo. Mas quando era mais nova, entortava meu corpo, não sabia valorizar essa característica". Atualmente, Jessica a expressão corporal para imprimir leveza à personagem Iara. "Tento ser suave, delicada. A ideia nunca foi exagerar na sensualidade, mas sim deixar fluir".

Curupira

Questionamos Jessica sobre seu personagem preferido do folclore brasileiro. "Escolheria o Curupira por ele ter esse instinto de proteger a natureza. Eu adoro a floresta e nunca tive problemas em gravar em espaços verdes. Aranhas, mosquitos e o que mais aparecer ali não me assustam: fui escoteira por quase dez anos e logo que começaram os acampamentos, percebi que não era só vender biscoito. É também ajudar o próximo e ter uma noção de sobrevivência dentro da mata. Desde então, inclui nos meus planos de vida comprar uma casa no meio da natureza, para extrair o que existe de melhor nesse contato", conta.

Stalkeadas