PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Teve crise de choro e/ou riso após a transa? Saiba que isso é normal

Pesquisas apontam que pode acontecer de você se sentir triste e chorar após uma relação sexual - iStock
Pesquisas apontam que pode acontecer de você se sentir triste e chorar após uma relação sexual Imagem: iStock

De Universa

28/03/2021 12h16

Ainda está dando o que falar o choro de Fiuk após movimentar o edredom com Thaís na madrugada de sábado (27) no BBB 21. As lágrimas caíram no fim da última festa na casa, quando a dupla se deitou e pôde-se escutar a respiração ofegante do cantor. Ele então saiu da cama cerca de meia hora depois, e desabou no banheiro.

Pode não ter sido o caso do filho de Fabio Jr., mas existe mesmo uma "deprê" orgástica, ou "disforia pós-coito", como definem os especialistas, minutos depois da relação sexual.

Em 2015, foi realizada uma pesquisa na Universidade de Tecnologia de Queensland, na Austrália, com 230 mulheres. Entre as entrevistadas, 46% afirmaram ter sentido, ao menos uma vez na vida, a disforia pós-coito. Dessas, 2% relataram perceber a sensação "sempre" ou "na maioria das vezes" em quem transavam. Todas as participantes relataram ter feito sexo consensual nesses casos.

Sensações podem durar até horas

Embora ainda não haja pesquisas com homens, os especialistas são unânimes em afirmar que pessoas de ambos os gêneros podem vivenciar o quadro. Contudo, eles tendem a não demonstrar o que estão sentindo de forma tão clara.

"É usual um sentimento de tristeza e solidão, podendo culminar com o choro", diz a educadora sexual Neise Galego. Algumas pessoas também descrevem um misto de vergonha, amargura, ansiedade, agressividade e melancolia no pós-sexo. No estudo conduzido na Austrália, um relato comum entre as entrevistadas era o de sentir-se desconfortável na própria pele. As sensações incômodas ou desagradáveis podem durar alguns minutos ou até mesmo horas.

Uma outra pesquisa, publicada em 2017 por profissionais norte-americanos no "Sexual Medicine Reviews", periódico da ISSM (International Society for Sexual Medicine), mostra que o choro e o riso, antes ou durante o ato sexual, são fenômenos periorgásmicos normais —a lista inclui ainda a catalepsia (perda temporária de sensibilidade e do movimento), dor facial ou no ouvido, coceira, ataque de pânico, crises convulsivas e até espirros.

Segundo o terapeuta sexual Oswaldo Martins Rodrigues Jr., diretor do Instituto Paulista de Sexualidade (InPaSex), todos têm a possibilidade de vivenciar um ataque de risadas ou lágrimas depois de transar, apesar de a ocorrência ser mais comum com quem passou por algo semelhante nas primeiras experiências. "Nossas reações corporais frente a uma situação dependem do corpo ter aprendido um padrão que será repetido", diz.

Conversa diminui constrangimento

De acordo com Rosely Salino, psicóloga, sexóloga e terapeuta de casal, a crise de choro e/ou riso pode acontecer como resposta positiva ao pico de descarga emocional durante o orgasmo. A sensação também pode ser negativa, quando a pessoa sente tristeza, vontade de chorar, sensação de vazio após o auge do prazer.

Para a sexóloga Gislene Teixeira, especialista em relacionamentos, mediadora e conciliadora de conflitos, é importante que tais "respostas" não causem constrangimento na relação.

"Por isso, é essencial que o casal entenda quais são as reações e por que elas acontecem. Aqui vale o recurso mais precioso dos relacionamentos, o diálogo, sendo que o assunto deve ser abordado, preferencialmente, durante a conversa cotidiana", recomenda.

Sexo