PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Além da penetração: 5 jeitos de explorar o seu corpo para ter mais prazer

Uma infinidade de áreas que podem ser aproveitadas durante o sexo e costumam ser esquecidas - jhorrocks/Getty Images/iStockphoto
Uma infinidade de áreas que podem ser aproveitadas durante o sexo e costumam ser esquecidas Imagem: jhorrocks/Getty Images/iStockphoto

Julia Guerrero Borges

Colaboração para Universa

25/03/2021 04h00

Resumir o sexo a penetração pode ser bastante limitador, principalmente para nós, mulheres. A ideia de que é necessário ter um pênis ereto para que possa haver prazer vai de encontro a diversas pesquisas e depoimentos de mulheres que dizem exatamente o contrário. E se sentir prazer é bom e todo mundo gosta, porque não explorar todas as nossas possibilidades?

Para quebrar concepções já formadas na nossa cabeça é necessário entender de onde elas surgiram. "A associação do sexo estar diretamente ligado a penetração é muito antiga e está atrelada a uma ideia machista e patriarcal. Infelizmente, essa concepção perdura até hoje, inclusive, muitas pessoas acreditam que mulheres lésbicas não transam de fato porque não há penetração com o pênis", explica psicóloga clínica e sexóloga Raphaella Maia Moura.

Seguindo a ideologia da sociedade e, até mesmo de acordo com o próprio dicionário, sexo se resume a penetração, ou seja, só existe relação sexual se há uma vagina e um pênis. "A sociedade hipervaloriza essa concepção e esquece que tem um corpo inteiro a ser explorado. Pés, dedos, seios, nuca, orelha, cabelo... uma infinidade de áreas que podem ser aproveitadas e estão esquecidas", completa.

A verdade é que cada corpo é um corpo e a forma como se sente prazer varia de pessoa para pessoa. Algumas áreas, no entanto, já são conhecidas pela grande sensibilidade que possuem, como os pés, dedos das mãos, seios, nuca, orelha e topo da cabeça.

Confira mais algumas técnicas que você pode tentar explorar hoje mesmo e sentir muito prazer:

1. Explore a pele

Segundo os ensinamentos da terapia tântrica, por exemplo, o corpo inteiro é um órgão sexual e a pele é o maior deles. Para compreender isso na prática, uma ótima dica é fazer algumas experiências excluindo qualquer espécie de penetração.

No momento em que você elimina essa finalidade, é possível descobrir um universo de possibilidades. Vale tudo: cheirar, lamber, toques sutis, toques intensos, explorar o corpo em áreas que você nunca explorou, se movimentar de formas diferentes, só não vale penetrar. Você vai descobrir novas sensações, despertar novos sentimentos e ficar com vontade de experimentar ainda mais.

2. Beije muito

Muita gente não classifica o beijo nem como preliminar, muito menos como sexo. Mas os lábios, assim como a ponta dos dedos, são áreas cheias de terminações nervosas.

Além disso, por meio do beijo, produz-se ocitocina, conhecido como o hormônio do amor, e substâncias mais poderosas do que a morfina em termos de efeito narcótico. É exatamente por isso que quando um casal se beija pode sentir euforia ou êxtase.

3. Intensifique o olhar

Já parou pra pensar no poder do olho no olho? "O olhar pode ser muito explorado e te trazer muito prazer. Uma boa dica é explorar essa troca de olhares no momento do sexo, o que pode trazer uma sensibilidade e conexão incrível para o casal", comenta Raphaella.

Então que tal ficar por pelo menos 5 minutos em frente ao parceiro(a) olhando em seus olhos? A ideia é que os dois estejam em uma posição confortável, com a respiração leve e todos os músculos do corpo bem relaxados. Vale a pena se deixar levar pelo momento e não criar algum tipo de expectativa para o que vai rolar depois, ou seja, não trate isso como uma preliminar. Para se ter uma ideia do poder disso, tem pessoas que sentem até vontade de chorar por tanta entrega. Vale a pena!

4. Respire com foco

Já notou como nos filmes pornôs todo muito respira muito rápido? Pois é, e como muitas vezes "aprendemos" o que é sexo por meio do que é mostrado pela indústria pornográfica, acabamos repetindo essa mesma intensidade na hora H. Mas nem sempre é desse jeito que nos sentiremos bem.

"Muita gente não sabe, mas a respiração pode trazer um prazer imenso. Ás vezes não é preciso nem de toque físico, apenas encaixar a coordenada da respiração um com o outro, que nem sempre e rápida. Essa é uma conexão muito profunda", diz a psicóloga.

5. Não tenha pressa

Outro ensinamento da indústria pornográfica que precisamos questionar é que o toque no sexo precisa ser sempre forte com pegada e muito rápido. Mas isso não precisa ser uma regra e trazer a sensibilidade para esse momento pode trazer muito mais prazer.

A dica aqui então é: desacelere. Deixar as coisas fluírem naturalmente e dar tempo ao tempo pode ser a chave para aproveitar cada um dos tópicos que falamos acima. Nesse ritmo você terá tempo para sentir e, assim, seu corpo entrará num estado de sutileza, pronto para todo o prazer que ele, como um todo, pode ter.

Sexo