PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

Desafio do anel de compromisso: moda é ostentar o namoro no TikTok

Beatriz e o namorado Leonardo namoram há 1 ano e 8 meses e usam o anel de compromisso há 6 meses. Para ela é "uma prova do amor infinito" - Arquivo pessoal
Beatriz e o namorado Leonardo namoram há 1 ano e 8 meses e usam o anel de compromisso há 6 meses. Para ela é "uma prova do amor infinito" Imagem: Arquivo pessoal

Júlia Flores

De Universa

29/01/2021 04h00

Rolando o feed do TikTok, não é difícil encontrar vídeos do desafio "gang" em que casais mostram a aliança de namoro para a câmera. A tag que já reúne mais de 50 mil vídeos mostra que um acessório considerado brega para alguns e romântico para outros está em alta: o anel de compromisso.

Alguns famosos, como Gabi Martins e Tierry, Biel e Tays Reis, também entraram na onda e estão na lista de adeptos do acessório. Mas, mesmo em alta, o símbolo de "um namoro sério" divide opiniões. Para muitos jovens, as alianças podem significar uma demonstração de carinho e "formalização" de um laço ainda mais forte. Por outro lado, há quem veja resquícios de machismo e patriarcado nessa moda.

@ortiizmichelle

i luv it, it's on my middle finger cause it doesn't fit my ring finger :( ##fyp ##foryou ##promisering

? original sound - gang

Se para quem critica, falando que tem cara de "coisa antiquada" e careta, é bom lembrar que nem há tanto tempo atrás esse tipo de anel era moda. E não estamos falando da época das nossas avós.

Em pleno século 21, no começo dos anos 2000, anéis parecidos com os de hoje eram exibidos nas mãos de ídolos teens da Disney Channel. Jonas Brothers, Miley Cyrus, Ashley Greene e Demi Lovato são algumas das celebridades que exibiam alianças de namoro, de amizade e até mesmo as de voto de castidade nos dedos.

"Para mim, é um símbolo do amor infinito"

A estudante de relações públicas Beatriz Mozes, 20, é uma das entusiastas do anel de compromisso. Em um relacionamento sério há um ano e oito meses, ela conta que a decisão de usar uma aliança foi tomada em conjunto com o namorado quando completaram seis meses de relação.

"Eu queria e falei para ele que achava uma ideia legal. Ele concordou. Fomos juntos ao shopping comprar as alianças. O momento foi lindo. Fiquei feliz de vê-lo contente com o significado daquilo para nossa relação", diz. Para ela, o anel simboliza um desejo de estar junto:

"Sou romântica e vejo a aliança como um símbolo do infinito - gosto dessa ideia do amor ser infinito, que ele passa por altos e baixos, mas o sentimento não acaba, só cresce. Toda vez que olho para a minha aliança eu penso nisso, que a gente tem um passado lindo, um presente maravilhoso e um futuro que vai ser melhor ainda"

O ourives João Gabriel, 22 sente essa moda impactar em suas vendas. Ele, que é sócio de uma joalheira em Osasco, grande São Paulo, conta que as vendas de anéis de compromisso aumentaram em cerca de 27% desde o final de 2020. Mas, para ele, aliança de compromisso não é moda, "é uma demonstração de amor e carinho". Um fator que contribuiu para o retorno dessa tendência, na opinião de João, foi a pandemia. "Acho que as pessoas estão ficando mais próximas por causa da convivência diária, os casais estão trancados em casa, mais unidos. Mas é preciso se reinventar para o amor continuar crescendo, afinal de contas se o amor não é alimentado, ele morre" - por isso o uso da aliança.

Na opinião da colunista de Universa e especialista em relacionamentos Carol Tilkian, a volta da aliança pode ser um passo importante na luta contra a "namorofobia", como ela mesma define. "Tem uma coisa que falamos muito no canal Soltos SA que é o medo de formalizar o compromisso, porque a gente vê que alguns casais já estão em dinâmica de namoro, mas eles não querem se comprometer com o nome 'namoro' para não se sentirem presos. Então talvez o anel de compromisso seja um jeito da gente voltar a ritualizar e trazer talvez até um gesto de carinho para essa formalização", argumenta.

"Não vejo a aliança como algo do tipo: 'ah, você está prendendo alguém'. Até porque quem quer trair, trai com ou sem anel. Mas eu acho que, em um momento em que as pessoas não querem se comprometer com nada ou que querem sair ilesos das relações, essa ritualização pode ser positiva", complementa Carol.

"Para mim, parece uma marcação de território"

Para Eloisa, anel de compromisso é um símbolo machista - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Para Eloisa, anel de compromisso é um símbolo machista
Imagem: Arquivo Pessoal

Já a designer gráfica Eloisa Ramalho, 25, não tem boas lembranças quanto ao uso do anel. Ela usava aliança no seu primeiro relacionamento, aos 18, e esse é um dos motivos de não gostar do acessório. Segundo Eloisa, era um relacionamento abusivo e o ex era machista.

"O anel significava muito para meu ex. Era uma prova de fidelidade e que só daquele jeito eu gostava dele. Se eu esquecia de usar, era motivo pra briga. Ele deu um peso muito grande para isso e na época eu não me dei conta do quanto aquilo era abusivo".

Para Eloisa, a peça servia como uma "marcação de território". "Relaciono a aliança a outros símbolos, como o vestido branco que a noiva usa, o chá de panela, etc. Para mim são ritos do passado que reproduzimos sem questionar. A aliança tem um peso muito forte, não é só um acessório", opina a designer.

Carol Tilkian alerta para esse problema: "Eu acho que, assim como todo símbolo, o anel de compromisso é interessante a partir do significado que você dá para ele e o momento em que o casal decide usar a peça pode ser o melhor para discutir o que esperamos da relação".

Mais importante do que o objeto em si, é o significado que você dá para ele. Se você quiser usar a peça só para esfregar na cara da sociedade que está namorando não faz sentido. Vai ser só mais um post no Instagram e depois você vai derreter a prata para transformá-la em um brinco.

Acha brega?

Tem quem não goste dessa tendência por achá-la brega e cafona. A própria Beatriz diz que já escutou comentários: "Eu entendo, já ouvi muitas críticas. Acho que cada um tem direito à própria opinião. Quem não quiser usar, que não use. Não acho brega, acho muito bonito".

Para além do anel, existem outros símbolos e acessórios que podem representar a união do casal. Carol Tilkian lista algumas opções. "Talvez valha o casal achar um símbolo de compromisso que não seja algo universal. O casal pode buscar algo que represente a relação em particular. Às vezes pode ser a toca de natação se os dois decidirem que vão começar a fazer triátlon. Tipo o que as pessoas que gostam de beber vinho fazem quando guardam as rolhas das garrafas. Ou a troca de chaves da casa, por exemplo. É legal que cada casal ache um símbolo de compromisso que faça sentido para a própria história como um rito só dos dois".

Relacionamentos