PUBLICIDADE

Topo

Loja de acessórios nega racismo em atendimento à produtora: ''Incidente"

Naiara Albuquerque registrou um boletim de ocorrência contra a loja Lool - Arquivo pessoal
Naiara Albuquerque registrou um boletim de ocorrência contra a loja Lool Imagem: Arquivo pessoal

Ana Bardella

De Universa

27/01/2021 15h12

A loja de assessórios de luxo Lool, localizada no Shopping Iguatemi, em São Paulo, negou que uma de suas funcionárias tenha praticado atos de racismo contra a produtora Naiara Albuquerque, contratada pela TV Globo para cuidar do figurino de Tais Araújo na série "Aruanas". Em comunicado oficial, a empresa classificou o episódio como um "incidente".

Na última segunda-feira (25), a advogada Juliana Souza narrou a Universa a versão de Naiara. A stylist, que combinou previamente com o marketing da loja o empréstimo de peças para a produção da Globo, relata ter sofrido racismo.

Segundo a advogada, Naiara chegou até a loja, onde havia uma senhora branca sendo atendida, e se apresentou à vendedora. "Com desdém, a funcionária pediu que ela aguardasse lá fora e voltasse dali 15 minutos". Naiara se retirou, por supor que se tratava de um protocolo de segurança contra o coronavírus, para evitar aglomeração no local.

"No entanto, ao retornar, ela percebeu que havia mais clientes sendo atendidos, todos não negros, transitando tranquilamente, sem receber nenhuma orientação para sair", conta Juliana. Naiara afirma que se sentiu "envergonhada, impotente e com raiva".

Primeiramente, a empresa divulgou uma nota, via Instagram, informando que Luiza Setúbal, fundadora da marca, entrou em contato com Naiara para se desculpar pelo ocorrido, sem negar diretamente o crime.

Na versão da Lool, no entanto, o crime de racismo não aconteceu. "O incidente não caracterizou qualquer ato de racismo por parte de nossa colaboradora, que apenas pediu que a produtora esperasse a conclusão de um atendimento que estava sendo feito naquele momento", afirma o comunicado oficial da empresa, enviado à Universa. Procurados, os representantes da marca e a vendedora da loja não aceitaram dar entrevistas.

Também procurada novamente por Universa, a representante de Naiara preferiu não comentar a nota, mas afirmou que registrou ontem (26) um boletim de ocorrência contra a loja na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância.

Confira na íntegra o posicionamento da marca:

"Assim que tomamos conhecimento do incidente entre uma colaboradora da empresa e a produtora Naiara Albuquerque, iniciamos um processo de apuração interna. Entramos em contato com a profissional para ouvi-la e entender o que ocorrera. Imediatamente, pedimos desculpas pelo mal-entendido.

O incidente não caracterizou qualquer ato de racismo por parte de nossa colaboradora, que apenas pediu que a produtora esperasse a conclusão de um atendimento que estava sendo feito naquele momento.

Desde a nossa criação, há 12 anos, nossos valores sempre se pautaram na construção de um ambiente que valoriza o respeito, a pluralidade e a diversidade. Somos contra qualquer tipo de discriminação.

A empresa se coloca desde já à disposição para prestar todos os esclarecimentos necessários para demonstrar que não houve preconceito e nem discriminação racial".