PUBLICIDADE

Topo

5 casos em 24h: como denúncias de crimes sexuais abalaram mundo dos eSports

Mulheres denunciam abusos de atletas do esports - Getty Images/iStockphoto
Mulheres denunciam abusos de atletas do esports Imagem: Getty Images/iStockphoto

Luiza Souto

De Universa

07/01/2021 04h00

Mulheres muito jovens —entre elas, menores de idade— foram às redes sociais na última terça-feira (5) para denunciar diversas violências de gênero, entre elas abusos sexuais e agressões, contra pelo menos cinco jogadores profissionais de videogame e conhecidos no mundo do esporte eletrônico —ou eSports. Há também homens relatando assédio sexual. Só na terça, foram ao menos cinco casos.

Os envolvidos são o treinador de League of Legends (LoL) Guilherme "Kake" Morais, o ex-gerente da KaBuM!ESports Célio de Oliveira, conhecido como Thurizão, o ex-treinador Gabriel "MiT" Souza e os jogadores Thiago "tinowns" Sartori e Filipe "pancc" Martins.

Depois dos relatos, alguns nomes foram afastados de suas equipes. Caso de "Kake", que representava o Flamengo eSports. Ele comandou projetos de formação de cyber-atletas e é acusado por eles de usar sua posição de poder para constranger jogadores. Entre as ações relatadas está o envio de fotos de atletas sem roupa, o que, se procedente, configura assédio sexual.

Segundo relato, ele prejudicava quem não atendia aos pedidos. No Twitter, alguns usuários publicaram prints de supostas conversas com "Kake".

Na conta oficial do Flamengo Esports no Twitter, um comunicado informa que o clube desligou Kake da organização na terça. Sem dar detalhes, o texto diz ainda: "É importante repudiar qualquer tipo de assédio. Não só nos esportes eletrônicos, na sociedade."

Universa não conseguiu localizar "Kake" para comentar o caso.

Organização encerra contrato após denúncia

Em um outro caso, um post publicado no Twitter pela jornalista Mari Coelho expôs prints de uma conversa com a tradutora na KaBuM! eSports Karina Yoon, em que Karina afirma ter sido abusada por "Thurizão". No relato, ela fala que a empresa "tentou varrer o caso pra debaixo do tapete", dando a entender que a KaBuM! sabia do ocorrido.

Em resposta a esse tuíte, "Thurizão" publicou longa carta informando que "é impossível haver quaisquer provas desse suposto abuso".

Ele confirmou que se relacionou sexualmente algumas vezes com a tradutora, e que "provavelmente após ela se arrepender do ato sexual, notificou meu superior dentro da empresa que eu trabalhava, alegando uma versão que jamais foi dita a mim, nem diretamente por ela, que se negou a me falar o que havia acontecido mesmo depois de tantas conversas íntimas onde a mesma até desabafava coisas pessoais comigo".

Na sua conta no Twitter, a KaBuM! eSports diz que não houve omissão e que agiu imediatamente. A empresa diz ainda que, independentemente da investigação sobre o caso, encerrou o contrato com "Thurizão".

"Forçou sexo oral"

Também na terça, a tatuadora Daniela Li foi ao Twitter afirmar que o ex-treinador Gabriel "MiT" Souza, que teve passagens por equipes de League of Legends como a paiN Gaming e Flamengo, forçou sexo oral durante encontro, enquanto os dois estavam dentro de um carro, há 7 anos. Em seguida, outras mulheres disseram ter vivido experiência abusiva com ele também.

"MiT" foi um dos casters (narrador) da Riot Games no Circuito Desafiante, a extinta segunda divisão do League of Legends brasileiro.

Em seu Twitter, ele publicou texto em que começa dizendo que "há anos atrás, não conseguia encontrar a maturidade de hoje para tratar de um assunto tão importante, com a coragem e a responsabilidade que deve ser tratado". Escreve ainda que está "devastado e envergonhado por não ter percebido que machuquei alguém tão profundamente, não compactuo com abuso qualquer que seja".

Após as publicações, a cúpula da publisher Riot no Brasil decidiu romper com o ex-jogador e treinador.

Agressão física e abuso psicológico

Também no Twitter, o jogador de League of Legends da paiN Gaming Thiago "tinowns" Sartori foi acusado de agressão física e abuso psicológico pela ex-namorada, Thays Toledo. As agressões teriam ocorrido entre 2014 e 2015.

Segundo Thays, as crises de ciúmes do jogador aconteciam diariamente, seguidas de xingamentos, pressão psicológica e chantagem emocional, até escalarem para agressões físicas, como empurrões, apertos e quebra de objetos.

Após o post, segundo o portal "The Enemy", "tinows" abriu sua stream para se desculpar e afirmou que ciúmes e abuso psicológico eram atitudes mútuas entre o casal. Ele negou as agressões físicas e disse que era "extremamente imaturo".

Jogador admite assédio e diz se sentir péssimo

Na sua conta, uma adolescente de 16 anos expôs uma conversa por aplicativo de mensagem em que o jogador Filipe "pancc" Martins, da equipe yng Sharks Esports de CS:GO, mostrou ter interesse em fazer sexo com ela, mesmo sabendo que ela tinha 15 anos na época.

"Espero que vocês entendam que todo exposed não é uma forma de 'ganhar biscoito', e sim uma forma de alertar as pessoas sobre situações que são jogadas embaixo dos panos", ela escreveu no Twitter.

Em resposta, "Pancc" confirma a conversa. "Sim eu errei e foi péssimo isso, me sinto uma pessoa péssima, a respeito de conversar com uma menina que era menor de idade, a gente se conheceu pelas redes sociais e conversamos só que eu falei coisas erradas e que não se deve falar pra ninguém, acelerei muito o nível da conversa e tenho total noção de que isso é algo errado, apesar de ter vindo a público agora".