PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Sem negar aparências, nem disfarçar evidências, mullets voltaram com tudo

A cantora Miley Cyrus  - Reprodução/Instagram
A cantora Miley Cyrus Imagem: Reprodução/Instagram

Elisa Soupin

Colaboração para Universa

29/12/2020 04h00

Ninguém sabe cravar muito bem como foi que aquele corte de cabelo consagrado pela dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó reapareceu. Mas fato é que ele vem fazendo a cabeça de uma galera cool e moderninha - até Rihanna, a rainha lançadora de tendências aderiu. Não dá para negar as aparências e nem disfarçar as evidências: os mullets estão entre nós.

Mas esqueça aquele corte quadradão e bem reto. A versão 2020 está repaginada e o visual que durante muito tempo foi sinônimo de cafonice e feiura está vivendo seus dias de glória.

O retorno começou tímido. Em 2016, a atriz e cantora Zendaya foi comentário geral ao aparecer com um mullet loiro e com franja no Grammy. Mas foi mais recentemente que o visual voltou com força: Miley Cyrus ostenta o look com franja e corte shag, Billie Eilish já usou numa versão colorida, Rihanna apareceu com um mullet bem ousado na chamada de seu Savage x Fenty show, Barbie Ferreira, de Euphoria, também já se rendeu ao estilo e, entre anônimos, o corte também vem se popularizando.

"Percebi que esse corte estava voltando quando estava estudando em uma escola em Londres, em 2018, e foi apresentado como tendência. Logo notei que não demoraria para chegar por aqui", diz a cabeleireira Carla Biriba, do Rio de Janeiro, que estima que, hoje, de dez cortes que faz, três sejam mullets. Ela destaca que os cacheados, raspados do lado e super longos estão em alta.

O corte é similar, mas a estética de hoje traz mais movimento — e muito mais possibilidades de brincar com os fios. "Nos 80 e 90, os cortes eram mais densos, pesados. Agora, eles voltam com texturas mais levinhas, muitos raspados na lateral, com franja anos 60, anos 70, ou bem curtinhas, há versões mais ousadas e outras discretas", diz a expert Raísa Andrade, do salão Papo Cabelo, no Rio, que conta que a faixa etária de quem adere ao look fica em uma média dos 18 aos 35 anos.

A especialista em corte acredita que, por aqui, a estética ficou ligada ao sertanejo porque os artistas do gênero musical usaram o corte em uma época em que estavam toda semana na TV, no auge do sucesso do ritmo. "Zezé di Camargo, Chitãozinho e Xororó usaram por muito tempo, e o sertanejo é cultura de massa, muito consumido. Integrantes de bandas de heavy metal também usavam, mas não apareciam tanto na televisão, por exemplo", opina.

Mullet reloaded

Apesar de todos os profissionais garantirem que o corte é super inclusivo e vai bem em todas as texturas e tamanhos, não há receita de bolo: aquele mullet que você adorou em uma amiga pode não cair bem em você.

"A técnica dos mullets se incorporou à técnica de corte na máquina típica das barbearias e a muitas outras combinações de técnicas de corte. Ele pode vir acompanhado de franja e costeleta, raspados do lado, desenhos. Não dá para repetir um mullet. Cada um é feito pensado para aquele cabelo, aquela textura", explica Hélvio Tavares do salão Sparks Cuts, em São Paulo.

"Quem faz, tem interesse em ter uma imagem mais divertida, menos óbvia, que nem todo dia reproduz a ideia do belo como a gente está acostumado, mas tem uma imagem forte. Acho que é um cabelo que é pra todo mundo, mas que nem todo mundo é para aquele cabelo: é importante estar certo de que quer o corte", diz Raísa.

E como saber se você banca esse visual?

Antes de sentar no salão e se render à tendência, a consultora de estilo Raísa Vital e os cabeleireiros consultados dão algumas dicas para que você entenda se mullets têm ou não a ver com você.

"No cenário atual, o mullet simboliza um movimento 'kitsch debochado', trazendo o 'feio' como um elemento questionador e uma busca por uma sensibilidade estética. É subverter a cafonice de um jeito cool", argumenta Raísa. Então, pense se você está preparado para a ruptura de um visual óbvio e mais seguro.

Se você circula em ambientes muito conservadores no trabalho, dosar o cabelo diferentão com uma maneira de se vestir mais sóbria pode ser boa ideia: o contraste passa uma mensagem interessante. "Se você busca apenas um jeito mais divertido e ousado de se expressar, mas precisa transitar em ambientes mais certinhos, deixe seu cabelo passar essa ideia e invista em um estilo um pouco mais clean com informação de moda, cortes diferenciados, e cores mais sóbrias. A combinação do mullet com o look 'careta' traz um movimento de confronto de padrões provocante", dá a dica Raísa Vital.

Se a sua proposta é realmente radicalizar no visual, não há limites. "Se a ideia é fugir de qualquer convenção, permita-se tudo. A única dica que dou é que haja cuidado na hora de juntar muitas referências de uma época no mesmo look. Por exemplo: pochete, jaquetas coloridas, bike shorts e mullets combinados podem ser demais, Corre-se o risco de ficar muito caricato, como numa festa à fantasia, e não autêntico", pondera.

A cabeleireira Raísa Andrade dá outra dica: "o mullet irá te dar um um look mais andrógeno". Avalie se você curte esse look e se ele tem a ver com você.

Pense em como será na hora de deixar crescer. "Se quiser deixar crescer de maneira uniforme, um pixie pode ser a solução. É uma maneira mais rápida e prática", diz Carla Biriba.

Não quer cortar curtinho? Carla diz que o processo de crescimento do mullet não costuma ser muito sofrido, dá para ir harmonizando o corte. "Se quiser deixar ir crescendo em cima e ir só aparando o mullet, é um corte que cresce bem", fala a hairstylist.

Mullet com carinho

Hélvio Tavares dá dicas simples para manter o corte e o penteado.

  1. Lave os cabelos com menos frequência e experimente usar shampoo sólido, para dar uma aparência mais bagunçada e natural ao cabelo.
  2. Um spray de soro fisiológico funciona muito bem como finalizador neste tipo de corte.
  3. Dependendo do seu modelo, aposte em gel de aloe vera e óleo de abacate.

Beleza