PUBLICIDADE

Topo

Beleza

"Skincare é o novo look do dia", diz influencer que desmascara blogueiros

Divulgação
Imagem: Divulgação

Paula Roschel

Colaboração para Universa

02/12/2020 04h00

Priscilla Rezende começou na internet, como ela mesma diz, "quando era tudo mato". Blogueira das antigas, ela é mais conhecida —e temida— como Blogueira Shame. Em 2009, a farmacêutica criou um endereço virtual que se transformou em parada obrigatória para quem se interessava pelo lado controverso dos influenciadores digitais —que ainda não tinham esse nome. Esse lado B do mundo da moda e da beleza tinha, principalmente, denúncias de publicidade velada feita por outras blogueiras (como se as influenciadoras indicassem um produto como dica de amiga quando, na verdade, recebiam dinheiro para isso).

Em 2020, após uma pausa para cuidar da saúde e da carreira, Priscilla está de volta. Agora baseada no Instagram, a mineira desbrava novos e mais politizados caminhos. Além disso, revela possíveis armadilhas do gigante mercado de autocuidado e skincare. Universa conversou com a "anti-influenciadora" para entender um pouco mais sobre esse novo rumo.

Universa: Agora que você voltou, está sentindo que sofre mais ataques do que na sua primeira fase na internet?
Priscilla Rezende: Não mesmo. Oito anos depois de fechar o blog e de passar por dois cânceres, uma mastectomia e um divórcio, eu amadureci bastante. Não só por isso, mas também pelo passar dos anos e pela desconstrução que é constante na minha vida. Hoje, minhas postagens são mais politizadas, direcionadas aos direitos do consumidor e das minorias, ao feminismo e à tentativa de fazer com que as pessoas cuidem, em primeiro lugar, de sua saúde mental. Os seguidores notaram essa mudança e raramente recebo comentários ofensivos.

Grande parte do seu foco era nas produções de moda das blogueiras. Hoje, há muitas postagens sobre skincare.
Sim, dicas de skincare agora são o novo look do dia. Primeiro, porque o formato look do dia saturou. E o mercado mudou também. O "legal" agora é encher o banheiro de potinhos com os mais variados princípios ativos. Se antes o bacana era o "pulseirismo", agora é o "ácido hialuronismo".

Na sua opinião, o que é essa grande onda de autocuidado? Quais são os lados positivos e negativos?
É um novo nicho rentável descoberto pelo mercado. A maioria dos ativos que estão na "moda" já são usados há muito tempo por dermatologistas. Os riscos são variados, desde o surgimento de espinhas até queimaduras provocadas pelo mau uso de ácidos que têm venda livre, sem prescrição médica. Já o lado bom é a variedade de produtos que temos à disposição agora e que nos dá opções de preços e marcas.

Quais promessas de milagres de beleza e bem-estar te deixam mais preocupada?
O uso de ácidos sem recomendação de um dermatologista e sem os devidos cuidados, como combinando protetor solar, por exemplo. Ou o uso de cosméticos despigmentantes coreanos/japoneses (que o povo adora) sem a devida rotulagem em português, o que faz com que o consumidor nem saiba o que está usando no rosto. O uso de vitamina C em peles propensas à acne. Chás diversos que, além de caros, não informam os possíveis efeitos colaterais que podem acarretar, como diminuição do leite em lactantes, hipoglicemia, úlcera, hipotensão, taquicardia e interações com medicamentos. Shots que prometem "aumento da imunidade" e "detox". Nenhum suplemento aumenta a imunidade, caso ela não esteja comprometida e, em tal caso, a fórmula deve ser individualizada e prescrita por um profissional habilitado. Além disso, quem promove "detox" é o fígado, e não ervas.

As seguidoras que amam skincare ficam meio bravas quando você fala sobre os produtos? Elas sabem que você é farmacêutica?
Quando posto uma polêmica do tipo "cronograma capilar não funciona", sempre aparecem umas nervosinhas. E eu respondo: "Aqui trabalhamos com ciência e não com achismos. Me mostre um estudo científico que comprove isso que eu me retrato". Teve uma que comentou num post que eu estava recomendando cosméticos e que isso deveria ser feito por profissionais [no caso, era um hidratante facial com ácido hialurônico, vendido em farmácias]. Eu respondi que sou uma profissional habilitada e, inclusive, posso prescrever alguns tipos de medicamentos. Eu sempre falo que sou farmacêutica pós-graduada em Farmácia Clínica, mas, de vez em quando, aparece uma "blogueira de beleza" sem formação alguma querendo bater boca comigo.

Você ensina as leitoras a denunciar quem faz publicidade velada? Já teve algum retorno de ações que foram julgadas?
Já, sim. Fui a responsável pelo primeiro processo ético em publicidade digital da história do Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária). Desde que voltei com o perfil, duas denúncias feitas pelos meus seguidores já foram julgadas pelo órgão.

O que você gostaria de falar para uma pessoa leiga que consome muito conteúdo em redes sociais e blogs? No que elas devem prestar atenção para não cair em alguma roubada?
O problema maior desse tipo de conteúdo é o que ele faz com o psicológico dos seguidores. Publicidades não identificadas dão a impressão de que os influenciadores realmente usam o produto e têm a pele linda por causa daquele potinho, que geralmente é caro. Aí, vejo dois problemas: o primeiro é que o influenciador está enganando o seguidor. O segundo problema é o gatilho que esses posts disparam em pessoas com problemas reais de pele e de autoestima. Vira uma compulsão por comprar tudo: todos os lançamentos, todos os ativos. E junto vêm a frustração de a pele não ficar igual à do influenciador e o prejuízo financeiro, além dos problemas que citei antes, como queimaduras, espinhas e descamação.

Mas nem todas as blogueiras e influencers são vilãs...
Não, tem muita gente boa, principalmente na área de skincare.

Pode citar algumas que você acredita que fazem um trabalho sério?
A Julia, do @jurovalendo, e a Bianca, do @pelesemfrescura, são minhas consultoras em skincare [risos]!. Apesar de eu ser farmacêutica e conhecer as fórmulas e os ativos, elas conhecem os produtos na prática. Então, recorro a elas quando preciso saber se um produto é bom mesmo. Também gosto muito do conteúdo do dermatologista Thiago Cunha, @drthiagocunhadermato. Ele sempre traz verdades sobre os produtinhos da moda.

Beleza