PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

"Ele é seu filho?": o que ouvem mulheres envolvidas com homens mais jovens

Abner e Telma estão juntos há 21 anos: "Ele era amigo do meu filho" - Acervo pessoal
Abner e Telma estão juntos há 21 anos: "Ele era amigo do meu filho" Imagem: Acervo pessoal

Ana Bardella

De Universa

15/11/2020 04h00

Há uma semana, uma declaração de Solange Almeida repercutiu nas redes sociais: a cantora afirmou através do Instagram que ela e o namorado, 16 anos mais jovem, "fazem sexo toda hora". Solange também falou sobre o fato de ser mais velha que Monilton Moura com quem está desde junho. "Eu tinha preconceito com a idade dele, eu tinha vergonha. Ficamos impressionados com quantas pessoas se identificaram com a gente nessa questão da idade. Era mais meu do que de qualquer pessoa. Embora, eu tenha sofrido, sim, um pouco de preconceito dos outros por ser mais velha que ele. Mas eu fui a maior preconceituosa com nós dois", confessou a cantora.

Assim como Solange outras famosas, como Tatá Werneck, Fátima Bernardes e Ivete Sangalo também se relacionam com homens mais novos. A diferença de idade, no entanto, ainda é cercada de tabus - especialmente quando quem é mais novo é o parceiro. A seguir, três mulheres contam como driblam o preconceito neste tipo de relação:

"No cartório, não sabiam que eu era a noiva"

"Eu e o Abner estamos juntos há 21 anos. Nos conhecemos através da família: meu filho, que hoje tem 37 anos, namorou durante um tempo a irmã dele. Com isso, ficamos todos próximos. Na época, ele estava com 19 anos e eu com 39. Jamais pensei nele como um potencial parceiro: para mim, era apenas um amigo do meu filho, como qualquer outro. As coisas mudaram, no entanto, quando ele abriu o coração e se declarou. Meu primeiro casamento não havia dado certo e eu pedia sempre nas minhas orações que encontrasse alguém que me respeitasse, que fosse meu parceiro de vida.

Abner e Telma falam sobre o relacionamento no Instagram: "Amor não tem idade" - Acervo pessoal - Acervo pessoal
Abner e Telma falam sobre o relacionamento no Instagram: "Amor não tem idade"
Imagem: Acervo pessoal

Parecia uma grande loucura, mas sou uma pessoa corajosa e fiquei tentada para saber como a situação iria se desenrolar. Só levei a história adiante porque recebi o aval do meu filho. Quando ficou sabendo, ele me incentivou a continuar com o romance. O início não foi fácil: minha família não aceitou bem. Mesmo assim, com apenas três meses de namoro, nós nos casamos.

Quando cheguei ao cartório, estávamos eu, ele e uma testemunha — uma moça mais jovem do que eu. Ali já tive uma amostra de algo que se repetiria muitas vezes: a pessoa que nos orientou a assinar os documentos presumiu que ela era a noiva.

Essas situações acabam ficando marcadas. Uma vez, estávamos na fila de uma loja, esperando para sermos atendidos no caixa, e eu insistindo que precisávamos ir até outra loja para comprarmos uma panela. Uma senhora atrás de nós ouviu a conversa e quis participar. Ela disse: "Deixa a sua mãe ir comprar a panela", brincando.

Até hoje esse tipo de situação se repete, mas não dou muita importância. Se alguém me pergunta se ele é meu filho, digo apenas que não, sem entrar em detalhes. Hoje, estou com 60 anos e ele com 40. Nunca senti o peso da diferença de idade no nosso relacionamento. Pelo contrário: sinto que ele me ensina muito. Por ter uma visão de vida diferente da minha, acaba me mostrando coisas que não consigo enxergar. É uma pessoa trabalhadora e que me incentiva em todos os aspectos. Gosta que eu me cuide, mantenha a autoestima e humor lá em cima e está sempre me colocando para frente".

Telma Blanco Matias, 60 anos, química, de São Carlos (SP), está casada com Abner Matias há 21 anos.

"Percebo olhares de curiosidade e reprovação"

"Quando conheci meu namorado, que atualmente tem 23 anos, havia acabado um casamento de 16 anos há cerca de seis meses. Tivemos uma troca de olhares que deixou nosso interesse explícito, mas resisti antes de ficarmos. Embora existisse atração, havia também meu medo de me envolver. Fiz o possível para que ele desistisse da ideia de ficarmos juntos, mas não consegui. Com isso, comecei a me questionar 'por que não tentar?'. Mas, na verdade, tinha também medo do que meus filhos, de 22 e 17 anos, iriam pensar.

Janaina relutou antes de ceder às investidas de Leonilson  - Acervo pessoal - Acervo pessoal
Janaina relutou antes de ceder às investidas de Leonilson
Imagem: Acervo pessoal

Tivemos uma conversa e apresentei todos os pontos negativos, mas isso não fez diferença para ele. Deixei claro que não gostava de aventuras: se fosse acontecer algo, tinha que ser para valer, porque não pegaria bem se existissem rumores de que estávamos ficando sem compromisso. Um mês depois do nosso primeiro beijo, fomos morar juntos. Acredito que fomos corajosos desde o início. Minha mãe foi quem mais rejeitou a ideia, mas aos poucos se acostumou. Meu filho mais velho também relutou no começo porque tinha medo do que os amigos poderiam dizer.

Hoje nossa relação é tranquila e nossas famílias e amigos nos dão todo apoio. As situações constrangedoras acontecem mais quando estamos com pessoas de fora do nosso ciclo: percebo olhares de curiosidade e reprovação. Raramente alguém verbaliza uma ofensa, mas já fui questionada se era a mãe dele, por exemplo. Tirando isso, nossa relação é harmoniosa e, apesar da minha idade, temos o desejo de ter um filho juntos".

Janaina Rodrigues, 41 anos, empresária, de Macau (RN), está em um relacionamento com Leonilson há 1 ano e 3 meses

"Insinuaram que estávamos juntos por interesse financeiro"

"Quando conheci meu namorado, que tem 28 anos, estávamos fazendo um trabalho voluntário juntos. Quem deu o primeiro passo fui eu, por já estar interessada. Não relutei porque sou uma pessoa romântica, que valoriza o amor acima de tudo. Acredito que, independentemente das circunstâncias, onde existe amor, vale a pena investir. Eu estava certa: em janeiro, nosso relacionamento vai completar três anos.

Rejane deu o primeiro passo na aproximação com William - Acervo pessoal - Acervo pessoal
Rejane deu o primeiro passo na aproximação com William
Imagem: Acervo pessoal

Não tive problemas com a minha família, uma vez que meus pais já faleceram. A família dele, no entanto, não aprovou a ideia logo de cara. Só depois de me conhecerem pessoalmente e simpatizarem comigo foi que o cenário começou a mudar. Alguns parentes dele, no entanto, chegaram a insinuar uma vez que havia interesse financeiro envolvido. Mas os comentários não eram feitos diretamente para nós, eram somente boatos, fofoca.

Tirando isso, nunca escutei comentários ofensivos direcionados diretamente a nós. Só uma vez um médico perguntou se ele era meu filho, pois sabia que eu já era mãe. Tirando esse episódio, estamos muito satisfeitos com a nossa família. Ele se apegou bastante ao meu filho, ama e interage com ele de forma paternal. Temos também dois cachorros, que completam o nosso lar".

Rejane Sousa Sampaio, 46 anos, terapeuta, de São Paulo (SP), está em um relacionamento com William há 2 anos e 10 meses

Relacionamentos