PUBLICIDADE

Topo

Denúncias de violência contra mulher poderão ser feitas via WhatsApp

Pesquisa mostrou feminicídios aumentaram 22,2% nos primeiros meses da pandemia - Getty Images/EyeEm
Pesquisa mostrou feminicídios aumentaram 22,2% nos primeiros meses da pandemia Imagem: Getty Images/EyeEm

Do Universa, em São Paulo

28/10/2020 20h01

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos anunciou hoje que vai aprimorar o serviço de denúncias para casos de violência contra a mulher. A Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência Ligue 180 —, que atualmente atende por telefone, também vai começar a receber denúncias pelo aplicativo WhatsApp.

Segundo a pasta federal, o novo serviço será lançado amanhã pela manhã, com uma live que será realizada às 11h30 nas redes sociais do ministério.

A transmissão ao vivo terá a presença da ministra Damares Alves, do ouvidor nacional dos direitos humanos, Fernando Ferreira, e da promotora do MP-SP (Ministério Público de São Paulo), Gabriela Manssur.

O ministério ainda informou que o atendimento pelo WhatsApp também será incorporado ao Disque 100, que é o serviço federal de denúncias para violações de direitos humanos.

Com a pandemia do novo coronavírus, os casos de denúncias de violência contra a mulher, principalmente a doméstica, aumentaram significativamente. Damares disse que as denúncias tinham aumentado 35% em abril na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Já em junho, uma pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostrou que houve crescimento de 22,2% dos feminicídios entre março e abril deste ano em relação a 2019.

O levantamento também mostrou que as mulheres encontram maior dificuldade para realizar denúncias de violência doméstica no momento de pandemia, o que leva a uma redução dos registros dos crimes deste tipo em delegacias de polícia, mascarando assim as estatísticas oficiais.