PUBLICIDADE

Topo

Universa

Mulher estuprada pelo ex na frente do filho foi obrigada a filmar o crime

Suspeito foi encontrado na avenida das Palmeiras (foto), em Itanhaém (SP) - Reprodução/Google Maps
Suspeito foi encontrado na avenida das Palmeiras (foto), em Itanhaém (SP) Imagem: Reprodução/Google Maps

Felipe Munhoz

Colaboração para o UOL, em Lençóis (BA)

20/10/2020 14h58

A mulher de 23 anos que foi sequestrada e mantida em cárcere privado com o filho de 5 anos durante uma semana em Itanhaém (SP) foi obrigada a filmar os momentos em que era estuprada pelo ex-namorado, 39, afirmou hoje ao UOL a delegada Evelyn Gonzalez Gagliardi, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itanhaém.

"Ela narra que foi obrigada a filmar, a contragosto, o estupro. É importante esclarecer porque as pessoas acham que estupro é só quando há violência física e não é isso. Não há cena de violência [física], mas não há consentimento da vítima", disse a delegada ao UOL.

Em outro vídeo, todos registrados no celular da vítima, ela teve que dar um depoimento contra si mesma. "Tem um vídeo em que ela é, claramente, obrigada a fazer um depoimento contra a própria imagem, dizendo que merecia tudo o que estava passando. Ele [o suspeito] tinha a intenção de mostrar isso para uma facção, para justificar o crime", contou Galgarei, ressaltando que esta é uma prática usada para tentar evitar represália dentro da organização criminosa.

De acordo com a delegada, fica evidente no vídeo do depoimento que ela é ameaçada, inclusive, sendo obrigada a dizer que merecia morrer porque já tinha traído o ex-namorado e cometido outros atos que justificavam a ação do suspeito.

Para Gagliardi, os vídeos agravam a condição do suspeito, por evidenciar as ameaças e registrar as cenas de estupro. "Agora estou ouvindo todas as pessoas envolvidas para esclarecer tudo o que aconteceu e tenho que entregar o inquérito até sexta-feira", informou.

O suspeito era procurado pela Justiça desde que fugiu do CPP (Centro de Progressão Penitenciária) de Valparaíso, no interior do estado, onde cumpria pena por roubo. Ele foi encaminhado à Cadeia Pública de Peruíbe.

Convite enganoso

No dia 9 de outubro, a vítima viajou para o litoral para atender a um convite de uma amiga para passar o final de semana em Mongaguá (SP). Ao desembarcar na cidade, no entanto, o ex-companheiro - de uma relação de seis meses que terminou em agosto - a esperava na plataforma de ônibus e a arrastou pelos cabelos até seu veículo.

"Sob ameaças de morte e coações psicológicas, o indivíduo trancou a vítima em sua residência, obrigando a mesma a manter relações sexuais com o autor. Atos que foram praticados, inclusive, na presença da criança", informou a Polícia Civil, em nota.

Após uma semana, a jovem conseguiu fugir e o suspeito foi localizado na Avenida das Palmeiras, no bairro Santa Júlia. Com ele, foram encontrados os dois celulares da ex-companheira. Já na residência, a polícia resgatou o filho da vítima e seus pertences pessoais.

O homem foi autuado em flagrante pelos crimes de estupro, ameaça, sequestro e cárcere privado, violência doméstica e satisfação de lascívia mediante a presença de criança.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública afirma que ainda investiga a suposta participação da amiga da vítima nos crimes.

Universa