PUBLICIDADE

Topo

Universa

Indiana de 17 anos é sequestrada e estuprada por 22 dias por homens

A jovem de 17 anos foi levada para uma fazenda onde foi violentada por dois homens durante os 22 dias que ficou em cativeiro - Getty Images
A jovem de 17 anos foi levada para uma fazenda onde foi violentada por dois homens durante os 22 dias que ficou em cativeiro Imagem: Getty Images

Colaboração para Universa, em São Paulo

15/10/2020 09h39

Uma jovem de 17 anos foi sequestrada enquanto esperava um ônibus, no estado de Orissa, na Índia. Ela foi levada pelo sequestrador até uma fazenda, onde ele e outro homem a estupraram durante os 22 dias que a jovem esteve em cativeiro. O caso foi divulgado pela polícia indiana ontem e um suspeito foi preso enquanto o outro conseguiu fugir.

A mulher nascida em Tirtol, cidade a 50 km do local do crime, havia fugido da casa dos pais depois de uma briga no mês passado. A jovem disse ao Comitê local de Bem-Estar Infantil que aguardava o ônibus para voltar para casa, quando o sequestrador se aproximou e ofereceu uma carona de moto até o destino.

Ao invés de levá-la para Tirtol, o motoqueiro levou-a para uma fazenda em uma aldeia e a manteve presa em um quarto por 22 dias, onde ela foi repetidamente estuprada por ele e outro homem.

Autoridades locais disseram ao portal de notícias indiano NDTV que moradores da região suspeitaram que os crimes estavam ocorrendo na fazenda e chamaram a polícia. Uma operação, então, foi planejada para que os policiais invadissem o local e resgatassem a jovem.

Um dos criminosos foi preso, as investigações continuam para encontrar o outro homem que conseguiu fugir.

"Uma equipe policial foi formada para prender o amigo do acusado", disse o vice-comissário de polícia da cidade de Cuttack, Prateek Singh.

O vice-comissário ainda esclareceu que a jovem foi resgatada, acolhida pelo Comitê de Bem-Estar Infantil e enviada para um orfanato.

O porta-voz do Congresso, Nishikant Mishra, disse que o estupro coletivo prova que as mulheres no estado de Orissa não estão seguras e protegidas de forma alguma. Ele exigiu assistência de 25 milhões de rúpias (cerca de R$ 192 mil) para a família da jovem, e afirmou que o crime deve ser investigado pelas autoridades policiais.

Um inquérito com base nas leis de estupro e estupro coletivo foi aberto contra os criminosos. No estado de Orissa há pena de morte para crimes hediondos.

Universa