PUBLICIDADE

Topo

Mães e filhos

Camilla Camargo teve herpes. Veja 8 possíveis mudanças no corpo na gestação

Camilla Camargo  - Reprodução/Instagram
Camilla Camargo Imagem: Reprodução/Instagram

Mariana Toledo

De Universa

17/09/2020 16h33

Na última terça-feira, 15, a atriz Camilla Camargo, grávida pela segunda vez, anunciou que está à espera de uma menina. Conversando com seus seguidores sobre a gravidez, ela comentou sobre um problema que já enfrentou com a gestão de Joaquim, seu primogênito, e que agora está se repetindo: a herpes. Camilla mostrou os lábios e apontou: "Temos um presente aqui. Na gestação do Joaquim, tive herpes três vezes. É um saco. Agora, já apareceu de novo. Por isso que eu tomo suplementos, é muito importante cuidar da imunidade nessa fase!".

Camilla Camargo - Reprodução/Instagram  - Reprodução/Instagram
Camilla Camargo
Imagem: Reprodução/Instagram

O que a atriz disse em relação à imunidade faz sentido. "Herpes é uma infecção que responde diretamente aos estados de imunidade do corpo. Você pode ter e não saber e, na gravidez, quando a eficácia do sistema imune diminui, ela se manifesta", explica Andrea Menezes, ginecologista, obstetra e mestranda em saúde materno-infantil pela Universidade Federal Fluminense. "Nessa fase, várias doenças oportunistas podem surgir, como candidíase e micoses. Além da mulher ficar mais sujeita a contrai-las, também pode ter mais complicações", acrescenta.

Para além da herpes, existe uma série de mudanças que acontecem no corpo da mulher, por dentro e por fora, durante os nove meses de gestação. Algumas são mais óbvias, como inchaço dos pés, ganho de peso e dor nas costas; outras, nem tão comentadas assim. Confira alguns exemplos:

Crescimento de cabelo

Isso vale tanto para o comprimento quanto para o volume. A Dra. Inaê Cavalcanti, médica especializada em Dermatologia com residência médica no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, conta que as alterações no corpo estão relacionadas a dois aspectos: estrutura e funcionamento. Em relação à estrutura, o que acontece é um "aumento da casa", já que o corpo vai receber outra pessoa. Nesse sentido, tudo cresce, como barrigas, seios...e cabelos! "Os hormônios de crescimento disparam em uma mulher grávida e por isso os cabelos ficam mais longos e também mais volumosos. Durante esse processo, pintas também podem crescer por todo o corpo, até na gengiva", diz. Neste caso, o processo é oposto no pós-parto, quando o cabelo cai bastante e a mãe enfrenta um período de perda acentuada dos fios.

Alergias

Ainda por conta dessa baixa imunidade, a grávida pode desenvolver alergias a coisas que nunca teve antes, como um shampoo de determinada marca, amaciantes e até pasta de dente. "É um período propício para infecções e por isso as alergias aparecem. Tem a ver com um processo de sensibilização da pele, que passa a reagir a coisas habituais. Não significa que a mulher fez alguma coisa de errado que tenha desencadeado um processo alégico. É só uma reação natural do corpo", pontua Inaê. Quer dizer que, durante a gravidez, talvez seja necessário dar um tempo do seu perfume preferido, por exemplo.

Inchaço do nariz

É comum ouvirmos falar que grávidas ficam com as mãos, os pés e os seios inchados. Mas o inchaço, na verdade, é geral: o ponto aqui é que em algumas partes do corpo ele fica mais visível e, em outras, menos. Há mulheres que vão notar inchaço no nariz, especialmente na reta final da gravidez, e também nos lábios.

Sangramento nasal

E falando em nariz... Devido às mudanças hormonais na gravidez, a mucosa do nariz fica congestionada, e aí podem aparecer episódios de sangramento espontâneo. É claro que, se eles se tornarem muito frequentes, é hora de pedir ajuda médica. Mas se o sangue for em pequenas quantidades e não acontecer o tempo todo, está dentro do normal. Isso tem a ver também com aquela mudança mais conhecida de percepção do olfato das grávidas, que fica mais acentuada, fazendo com que elas sintam cheiros com mais intensidade e, assim, se incomodem mais com determinados odores.

Perda de memória

"O esquecimento é muito comum, especialmente entre gestantes que trabalham em áreas mais intelectuais. Logo no início essas mulheres vão se sentir mais lentas e distraídas. É normal e está ligado às mudanças hormonais, que estão a todo vapor", esclarece a Dra. Andrea. A médica acrescenta que isso pode se prolongar ainda no puerpério, especialmente em relação a gravar novas informações e ao processo criativo.

Suor excessivo

O aumento da transpiração, bem como ondas de calor durante o dia e suor noturno, são típicos da gravidez. Isso acontece porque, durante a gestação, o fluxo sanguíneo e os níveis hormonais da mulher aumentam - o que faz a temperatura corporal aumentar também. "O suor excessivo também está ligado ao esforço que a grávida tem que fazer em atividades simples do dia a dia e às alterações de pressão, que são comuns", completa a ginecologista Andrea. Mas, se o suor vier acompanhado por febre, é melhor avisar o médico.

Fortalecimento de unhas

Quem sempre reclamou de unhas frágeis e quebradiças vai gostar de saber que, na gravidez, isso não será um problema. Da mesma forma que os cabelos crescem e ficam mais volumosos, as unhas também ficam mais fortes e compridas. Mas a Dra. Inaê alerta: "Assim como o cabelo, é um processo que, no pós-parto, acontece de forma oposta".

Mães e filhos