PUBLICIDADE

Topo

Autoestima

Mulheres que calçam mais de 40: dificuldades e dicas de onde comprar sapato

A cantora Patrícia Ramos, que calça 40: "compro tênis da seção masculina" - Reprodução/Instagram
A cantora Patrícia Ramos, que calça 40: "compro tênis da seção masculina" Imagem: Reprodução/Instagram

Mariana Toledo

De Universa

16/09/2020 04h00

A cantora e influenciadora Patrícia Ramos contou em seus Stories em seu Instagram, que o namorado, Diogo, a fim de incentivá-la a se exercitar, comprou novas roupas de treino para ela - o problema foi na hora de escolher os sapatos. "Tive que escolher na seção masculina porque na feminina não tinha tamanho 40", reclamou. "Mulheres que calçam 40 e números acima de 40, sintam-se abraçadas pra mim. A gente atravessa um deserto para achar sapato", completou Patrícia.

Quem também integra o time das mulheres que calçam tamanhos grandes é a modelo Rita Carreira. Influenciadora do movimento body positive, Rita contou para Universa que sua busca por quebra de padrões é constante e que vai além da questão de roupas em tamanhos maiores: "Sinto falta de ver marcas de sapato apostando nessas numerações. Existe tanta marca que faz coleções lindas mas não pensa nessa diversidade... Até tem uma ou outra que oferece o tamanho 40, mas tem uma parcela muito grande de mulheres que calça acima disso e que está além do padrão 1m70 de altura e pé 37/38".

Rita Carreira sapatos - Divulgação/Eurico Calçados - Divulgação/Eurico Calçados
A modela Rita Carreira, que calça 43, amo usar salto alto e quase nunca encontra sapatos
Imagem: Divulgação/Eurico Calçados

A modelo passa por essa dificuldade desde muito nova. Aos nove anos, calçando 39, ela já não se sentia atendida pelas marcas, especialmente na busca por sapatos femininos e adequados à idade que tinha. "A parte mais difícil do meu processo de auto-aceitação é, até hoje, essa questão do sapato. Eu amo usar salto e não encontro no meu número. Aí, como desculpa, escuto que eu não preciso de salto porque já sou alta. E eu sempre respondo: quero usar salto porque eu gosto. Acho bonito, feminino e elegante. É um saco ficar justificando o porquê de usar determinada coisa. Isso só vai acabar quando quebrarmos todos esses padrões", desabafa.

Outras celebridades conhecidas pelos pés grandes são Claudia Raia, Gisele Bündchen, Izabel Goulart e Kendall Jenner, que calçam 41, e Nicole Kidman, que usa 42.

Afinal, dá para encontrar sapatos femininos em tamanhos grandes?

Marcas de sapatos com grades de numeração mais amplas ainda não são maioria no mercado, como apontado pelas influenciadoras. Mas, felizmente, há exceções. É o caso da Eurico Calçados. Fundada em 1938, a marca sempre teve o foco no público que não é "padrão": os calçados femininos vão do 40 ao 43 e, os masculinos, do 45 ao 48. E a fim de reforçar ainda mais esse conceito de inclusão, a marca recentemente lançou uma campanha protagonizada por personagens considerados fora do tal padrão. Criada durante o período de isolamento social em decorrência da pandemia, a campanha teve toda produção de fotos a cargo dos próprios modelos, o que de certa forma acabou favorecendo o objetivo de mostrar a diversidade de seus perfis de forma autoral e autêntica.

Uma das estrelas da campanha é a própria Rita Carreira, que é uma das maiores referências plus size e negra da moda brasileira. Além dela, completam a lista Tereza Tessaro, curadora de artes, estudante de história e travesti preta, como ela frisa com objetividade; Gisela Heise, terapeuta artística antroposófica de 75 anos; Karina Viega, produtora de conteúdo digital e aromaterapeuta; e Rodrigo Geribello, músico e empreendedor.

"A questão da autoestima feminina é bem delicada. Imagina o estrago que uma história infantil - cuja heroína é uma mocinha com pés minúsculos e por isso foi escolhida pelo príncipe encantado - deve fazer na cabeça das meninas que aos 15 anos, na festa de debutante, não encontram sapato pros seus pés 40, 41, 42... Lembro até hoje de uma carta emocionada, que uma cliente nos mandou há décadas, falando da alegria da filha adolescente quando ganhou pela primeira vez uma sandália que serviu nos seus pés. Por isso, mais do que uma sapataria, nossa proposta é ser um espaço de acolhimento", afirma Claudia Rosenthal sócia-diretora da Eurico.

havaianas  - Divulgação  - Divulgação
A marca Havaianas anunciou o fim da separação de modelos por gênero
Imagem: Divulgação

A Havaianas também vem fazendo algumas movimentações nesse sentido. Em junho, a empresa lançou a coleção Pride, destinando 7% do valor líquido das vendas dos produtos da linha (body, street bag, duas sandálias e pins) para ONGs LGBTQI+, e anunciou ainda o fim da separação de modelos por gênero e extensão dos tamanhos em algumas coleções. A partir deste mês, no e-commerce de Havaianas, o consumidor tem a opção de escolher os produtos por cores, modelos e estilos - e não mais por gêneros. "Havaianas é a marca que todo mundo usa - temos isso quase como um mantra. Então trazer uma gama maior de tamanhos para nossos modelos é um movimento natural para a marca. Já fazia um tempo que sentíamos que havia essa demanda dos nossos consumidores", declara Mariana Rhormens, Head de Comunicação e Marketing de Havaianas Brasil.

Para a coleção 20/21 da marca, Mariana revela que já são mais de dez modelos com essa expansão de grade de tamanhos. Entre eles, um dos maiores "queridinhos" da marca - como ela define - o modelo Slim Glitter, que chegará a tamanhos bem maiores do que o 40! "Para o próximo ano, vamos ampliar consideravelmente esse número", adianta.

Além da Eurico, que é especializada nos tamanhos maiores, e da Havaianas, que já tem boas opções para as mulheres que calçam mais de 40, ainda há outras opções para esse público: no site da Melissa, por exemplo, são mais de 150 modelos no tamanho 43/44, entre sandálias, coturnos e papetes.

Autoestima