PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Garnier anuncia plano para ser 100% sustentável até 2025

O presidente global da Garnier, Adrien Koskas, anuncia metas de sustentabilidade para a marca - Divulgação
O presidente global da Garnier, Adrien Koskas, anuncia metas de sustentabilidade para a marca Imagem: Divulgação

Marcelle Souza

Colaboração para Universa

16/09/2020 13h32

A francesa Garnier lançou nesta quarta-feira (16) seu reposicionamento de marca no mercado global de cosméticos e anunciou uma série de mudanças que devem ser adotadas nos próximos anos para reduzir o impacto ambiental dos seus produtos. A marca faz parte do portfólio da gigante francesa L'Oréal e, no Brasil, oferece produtos para a pele e cabelo.

A ofensiva, chamada de "Garnier Green Beauty", inclui o aumento do uso de ingredientes naturais, biodegradáveis e orgânicos, a redução gradual de derivados de petróleo na formulação dos seus produtos e do uso de plástico em suas embalagens. A empresa afirma não fazer testes em animais. A mudança vai atingir todos os produtos da marca.

"Green Beauty vai transformar a forma como fazemos negócios. Desenvolvida com a ajuda de nossos parceiros, pesquisadores e clientes, a iniciativa destaca uma gama de objetivos ambiciosos, sustentados por objetivos tangíveis. Nós nos comprometemos a diminuir o impacto no planeta e a inovar para um futuro sustentável", diz o presidente global da companhia, Adrien Koskas, durante o evento.

O processo de reposicionamento do selo começou em 2013, com a pesquisa sobre materiais e composições com menor impacto social e ambiental.

Novos produtos e novas fórmulas

O anúncio de reposicionamento também contou com o lançamento de novos produtos, como um xampu sólido, feito com ingredientes naturais e sem uso de plástico, com redução de água tanto na sua produção quanto para o enxágue, no uso pelo consumidor final. "Para fazer a mudança, nós precisamos dar alternativas aos nossos consumidores, como o xampu sólido no lugar do líquido", diz Koskas.

xampu sólido Garnier - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Os itens que já fazem parte do seu portfólio devem ganhar, até 2025, novas fórmulas e embalagens. "A Garnier é uma marca de produtos acessíveis, e não vamos aumentar os preços. O que queremos é democratizar a performance dos cosméticos naturais", afirmou Koskas.

Ele também anunciou que as propagandas dos produtos da Garnier serão com pessoas reais, e não modelos, para tentar aproximar a marca dos seus consumidores.

Garnier - Reprodução - Reprodução
Imagem da apresentação do presidente da Garnier, em que anuncia campanhas publicitárias com pessoas reais
Imagem: Reprodução

Empresa se compromete a não usar plástico virgem

Além de mudar as formulações, a empresa quer zerar o uso de plástico virgem até 2025, o que significa uma redução anual de 37 mil toneladas do produto.

Para tanto, Garnier pretende utilizar materiais recicláveis em suas embalagens, redesenhar e reutilizar as que já estão no mercado, além de fazer parcerias com empresas e comunidades para promover a reciclagem e a limpeza dos oceanos.

A ideia é aumentar a demanda a partir da indústria e incitar os consumidores a adotarem uma postura mais sustentável. "Isso vai exigir a mudança de hábitos de todas as partes", diz Nicol Sobczyk, diretora de embalagens sustentáveis da empresa.

A estratégia também prevê a neutralização da emissão de carbono e o reuso da água em todas as fábricas da companhia até 2020. Segundo os executivos da marca, a pandemia consolidou uma tendência que já estava em estudo. "As pessoas perceberam que as mudanças precisam ser feitas agora", diz o presidente da Garnier, Adrien Koskas. "Com a pandemia do Covid-19, nós nos sentimos mais motivados para fazer essa mudança", completa a diretora científica e de sustentabilidade, Aurélie Weiling.

Por conta da pandemia, a conferência para a imprensa foi realizada virtualmente e transmitida a partir de Paris, sede da conglomerado.

L'Oréal quer todas as marcas sustentáveis

A divulgação da Garnier nesta quarta-feira foi a primeira de uma série de mudanças que os selos da L'Oréal devem realizar nos próximos anos. A companhia, que é a maior indústria de cosméticos do mundo, já havia anunciado em junho seu plano de tornar todas as suas marcas sustentáveis até 2030, o que inclui ainda Lancôme e a Armani, além da popular Garnier.

A iniciativa, chamada de "LOréal Para o Futuro", prevê a redução do consumo de água tanto na produção quanto na utilização dos seus produtos, além de zerar o uso de plástico virgem em suas embalagens.

"Faremos isso nas nossas operações de negócios, mas também nas nossas contribuições para sociedade como um todo. Sabemos que os maiores desafios ainda estão por vir, e a L'Oréal é fiel em sua ambição de operar dentro dos limites do planeta", afirmou o CEO, Jean-Paul Agon, em comunicado oficial em junho.

Beleza