PUBLICIDADE

Topo

Alto Astral

A 7 chaves: que temas devo guardar para mim para não atrair energia ruim?

Relacionamentos, dívidas...Dá pra falar de tudo com todo mundo? - max-kegfire/Getty Images/iStockphoto
Relacionamentos, dívidas...Dá pra falar de tudo com todo mundo? Imagem: max-kegfire/Getty Images/iStockphoto

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

08/09/2020 04h00

É claro que o ideal é basear nossos relacionamentos na confiança, na honestidade e no ato de compartilhar. Porém, há certos assuntos que, em alguns casos, é melhor não contar a ninguém. Você já pensou sobre isso?

Contar coisas para os outros: o que levar em conta?

"Não podemos saber como cada um reagirá diante de nossas experiências pessoais. Julgamentos são subjetivos. Além do mais, ter cautela sobre o que diz ao seu respeito garante que detalhes de sua vida não possam ser usados contra você mais tarde", diz a psicóloga clínica Rejane Sbrissa, de São Paulo (SP).

Segundo Marcia Pugliesi, terapeuta humanista e numeróloga, do Espaço Conheça-te, também na capital paulista, tudo no Universo tem uma frequência, uma vibração e uma pulsação. "Somos aquilo que pensamos, falamos e agimos. Ou seja, somos uma coletânea energética. Partindo do princípio que existe energia, mas não vemos e não conseguimos quantificá-la a olho nu, é necessário prudência e bom senso e evitar ficar divulgando coisas importantes por aí", explica.

A filósofa Patrícia Cândido, cofundadora do Grupo Luz da Serra e pesquisadora na área da espiritualidade há quase 30 anos, comenta que quando objetivos, por exemplo, ainda estão na fase de planejamento, a energia é muito embrionária. "Nesse estágio, o projeto ainda não possui uma formação forte o suficiente para suportar opiniões e comentários alheios. Críticas, palpites e considerações podem despertar insegurança e muitos 'serás' começam a povoar a mente. Quando a dúvida entra em nossa cabeça, a probabilidade de conquistar qualquer meta é muito menor. Isso vai destruindo a certeza e a determinação para seguir adiante", explica.

Manter a saúde mental e emocional em dia tem tudo a ver com se resguardar, no ponto de vista da terapeuta quântica Ingrit Reiter, de São Paulo (SP). "Sempre aconselho aos meus pacientes que não falem muito sobre si mesmos às outras pessoas, principalmente aquelas em que não confiam ou que não sentem boas energias vindo delas. Não é possível saber quais energias essas pessoas carregam e que, muitas vezes, nem elas sabem", avisa.

Atenção à interferência familiar

De acordo com Bruno Gimenes, especialista em desenvolvimento pessoal e diretor de conteúdo e cofundador do Grupo Luz da Serra, o que relatamos à nossa família também deve ser feito com parcimônia, pois a influência energética dela é uma das mais poderosas em função dos laços genéticos.

"Dependendo de nossa educação e criação, muitas vezes nos sentimos 'obrigados' a relatar tudo aos nossos pais e parentes, porque aprendemos que a família é a base de tudo e que devemos lealdade a quem nos protege. Porém, não somos obrigados a dividir nenhuma questão particular com quem quer que seja. É um direito de cada um de nós compartilhar somente aquilo que é confortável. Além do mais, não podemos esquecer que, mesmo nas famílias, existem pessoas em quem não podemos confiar", observa.

Divulgar metas e objetivos aos entes queridos também merece cuidado, porque as ideias e expectativas dos mais chegados podem interferir energeticamente em nossos processos de conquista. "Querendo ou não, as pessoas tem projeções e reflexões sobre o que você diz. E pensamentos são energias que interferem diretamente no campo das conquistas", fala Bruno, autor dos livros "Decisões - Encontre a sua Missão de Vida" e "O Tratado da Prosperidade", ambos pela Editora Luz da Serra.

Ele reforça que o papel social do grupo familiar é a proteção dos seus membros e a ajuda mútua. É por isso que, às vezes na intenção de proteger e ajudar, ou por simples apego, seus planos podem ter interferência negativa das pessoas que você mais ama.

"Por exemplo: sua mãe pode não conseguir lidar com o fato de uma mudança sua para o exterior, mesmo sabendo que seria incrível para a sua carreira. Essa energia do apego, da dor e da lamentação interfere diretamente no seu plano. Então, ressalto: pense bem antes de dividir seus planos. Você não é obrigada a contar nada... nem mesmo para a sua família! Escolha muito bem as pessoas com quem você vai dividir a sua vida", recomenda.

Evite falar sobre esses assuntos

Agir com discrição e comedimento no momento de relatar suas particularidades é sempre importante. No caso dos temas a seguir, pense mil vezes antes de abrir a boca.

  • Seus projetos ou planos futuros

A psicóloga Rejane Sbrissa pontua que, quando você mantém sigilo sobre seus planos, trata de buscar formas para alcançá-los acreditando somente em si mesma e em seus sonhos e planos. "Ao passo que contando aos outros vai ouvir julgamentos e palavras de incentivo ou discordância. E, assim, acaba por mudá-los ou até deixando de investir na sua ideia original. Isso pode fazer com que perca o prazer de alcançar seu objetivo", avisa. Já a terapeuta humanista e numeróloga Marcia Pugliesi recomenda falar sobre um projeto somente após a concretização do mesmo.

"Existem vampiros energéticos que convivem conosco sem que nos demos conta e que podem nos atrapalhar energeticamente, dependendo do grau da nossa vibração e conexão com a sintonia deles", comenta.

  • Seus ganhos

"Se não sabemos a situação financeira do outro, abrir o jogo sobre rendimentos pode causar a impressão de que você quer se gabar e atrair inveja, afetando as relações", diz Sbrissa. Para Pugliesi, ostentar prosperidade e abundância gera energias desqualificadas desnecessárias. E, via de regra, soa como uma atitude exibida e mesquinha.

  • Suas dívidas

"Não é preciso guardar problemas financeiros para si. Mas, em vez de ficar espalhando por aí suas dificuldades envolvendo dinheiro, busque estratégias para aumentar a renda e pagar suas contas", fala Ingrit Reiter. "Falar de dívidas é fortalecer a situação negativa, dificultando o processo em si. Devemos vibrar, focar na solução e não no contratempo", endossa Pugliesi.

  • Sua generosidade

Se beneficiou alguém, costuma realizar trabalhos voluntários ou pratica a caridade, não faça propaganda disso. Conforme Ingrit, ajudar de forma gratuita traz energias positivas como amor, compaixão e abundância. "Não queira auxiliar uma pessoa esperando que ela te dê algo em troca, pois isso não é ajuda: é um acordo que você está fazendo sem que ela saiba disso", discorre a terapeuta quântica.

Além disso, Sbrissa chama a atenção para o fato de que há quem se sinta diminuído diante das ações bondosas dos outros, pois parece que essa ação expõe o que não fazem.

  • Sua intimidade familiar

Brigas entre cunhados, picuinhas com a irmã, tretas envolvendo dívidas... Deixe tudo isso bem longe dos ouvidos alheios. O mesmo conselho vale para a parte "boa" da sua árvore genealógica: heranças, conquistas, viagens. Como nem sempre sabemos as situações que as outras pessoas passam em suas famílias, aquilo que você considera uma coisa positiva ou negativa pode ser visto de maneira distorcida por outros.

E mais: ao compartilhar certos fatos, você acaba expondo seus parentes a julgamentos externos desnecessários. Preserve-os e poupe a si mesma.

  • Sua privacidade amorosa

O que cada um espera ou não de um relacionamento afetivo é algo extremamente pessoal. Ao falar demais sobre as manias do seu parceiro, o que curtem fazer na cama e de detalhes da última briga que tiveram, você entrega sua relação ao escrutínio alheio. "Você irá receber de volta inveja ou conselhos não solicitados que tenham a ver com o ponto de vista da outra pessoa. Ou seja, mantenha sigilo sobre sua vida a dois. Só você sabe se está feliz ou não e como contorna possíveis incômodos", orienta Sbrissa.

Alto Astral