PUBLICIDADE

Topo

Direitos da mulher

Gerações de progresso para mulheres foram perdidas com a pandemia, diz ONU

A pandemia do coronavírus já reverteu décadas de progresso na igualdade de gênero e nos direitos das mulheres - Getty Images/iStockphoto
A pandemia do coronavírus já reverteu décadas de progresso na igualdade de gênero e nos direitos das mulheres Imagem: Getty Images/iStockphoto

De Universa, em São Paulo

01/09/2020 10h22

A pandemia do coronavírus já reverteu décadas de progresso na igualdade de gênero e nos direitos das mulheres, temas considerados limitados e frágeis, afirma o secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), António Guterres.

"Sem uma resposta com preocupação, corremos o risco de perder uma geração ou mais de ganhos", alertou.

Muitas mulheres que trabalham no setor informal foram jogadas na insegurança financeira, sem renda regular ou redes de segurança social eficazes.

"A pandemia expôs a extensão de seu impacto na saúde física e mental, educação e participação da força de trabalho", disse Guterres, em meio a relatórios perturbadores de todo o mundo sobre a disparada da violência de gênero, "já que muitas mulheres estão efetivamente confinadas com seus abusadores, enquanto recursos e serviços de suporte são redirecionados".

"Em suma, a pandemia está expondo e exacerbando os obstáculos consideráveis que as mulheres enfrentam para alcançar seus direitos e realizar seu potencial", comentou.

Guterres fez as afirmações durante uma audiência virtual com representantes de vários países para as questões femininas.

"Todas as mulheres têm direito a serviços de saúde sexual e reprodutiva de qualidade e acessíveis. Os governos têm a responsabilidade de garantir que mulheres e meninas tenham acesso a esses serviços, mesmo durante uma crise", disse ele.

"Isso significa priorizar e financiar a atenção primária à saúde e a Cobertura Universal de Saúde", acrescentou o Secretário-Geral.

Guterres defende também que os governos criem ou ampliem financiamentos direcionados a mulheres.

"As transferências de dinheiro, créditos e empréstimos devem ser direcionados às mulheres, para mitigar o impacto imediato da perda de empregos e aumento das responsabilidades de cuidar dos filhos", disse ele.

Direitos da mulher