PUBLICIDADE

Topo

Polícia Civil investiga exposição de dados de menina de 10 anos

Policiais Militares protegeram o hospital onde menina de 10 anos sofreu aborto após ser vítima de violência  - Anderson Nascimento/Estadão Conteúdo
Policiais Militares protegeram o hospital onde menina de 10 anos sofreu aborto após ser vítima de violência Imagem: Anderson Nascimento/Estadão Conteúdo

De Universa, em São Paulo

18/08/2020 13h13

A Polícia Civil do Espírito Santo abriu uma investigação sobre publicações nas redes sociais que expuseram o nome da menina de 10 anos que ficou grávida após sofrer abusos sexuais, além do endereço do hospital em que ela estava internada.

O delegado José Darcy Arruda informou, em coletiva de imprensa realizada hoje, que o caso foi encaminhado a uma delegacia especializada em crimes cibernéticos.

"Com relação às informações que foram postadas indevidamente nas redes sociais eu já designei o delegado de crimes cibernéticos para que apure todas essas questões. Se o crime foi consumado aqui, será feito aqui, se foi consumado em outros estados, ele vai encaminhar para outro estado. Já determinei e já estão trabalhando neste caso", explicou.

Arruda ainda afirmou que tanto dados relacionados à menina, quanto relacionados ao tio preso por estupro de vulnerável serão investigados.

"Da mesma forma que houve a disposição dela, do nome, da mesma forma também com ele, está tudo já encaminhado à delegacia cibernética", disse.

Contas de Sara Giromini saem do ar

As contas no Instagram e no YouTube da militante de extrema-direita Sara Giromini, mais conhecida como Sara Winter, saíram do ar hoje. Ela foi responsável por divulgar dados da menina de 10 anos estuprada pelo tio, além do endereço da unidade de saúde em que a garota estava.

Ontem, a Justiça do Espírito Santo determinou, em decisão liminar (provisória), que Facebook, Twitter e Google Brasil retirassem do ar publicações em que Sara expôs a criança. A decisão atendeu a um pedido da Defensoria Pública do Estado.

De acordo com a Polícia Civil do Espírito Santo, a criança de 10 anos era estuprada havia quatro anos e engravidou. O tio, de 33 anos, foi indiciado pelo crime e preso hoje.