PUBLICIDADE

Topo

Autoestima

Katy Perry diz que depressão foi desencadeada por religiosidade dos pais

Katy investigou traumas de infância para identificar causas da depressão  - TodaTeen
Katy investigou traumas de infância para identificar causas da depressão Imagem: TodaTeen

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/08/2020 13h54Atualizada em 14/08/2020 15h53

Katy Perry contou detalhes sobre sua luta contra a depressão. Grávida de 9 meses e prestes a lançar o álbum "Smile", a cantora admitiu que já teve pensamentos suicidas e afirmou que, durante algum tempo, não tinha motivação nem para levantar da cama. Kate disse ainda que a religiosidade fervorosa de seus pais pode ter sido o estopim para seus problemas psicológicos.

"Nada, nenhuma oportunidade, nenhuma pessoa poderia me estimular a sair da cama", disse Katy em uma entrevista de hoje ao jornal britânico The Guardian, revelando que passou por essa fase após o lançamento do álbum Witness, em 2017.

"Minha depressão se transformou em uma letargia, em uma falta de interesse. Eu apenas não ligava pra nada, não queria nada", continuou a artista.

Ela ainda contou que já trava uma longa batalha contra a doença e que em 2011, anos antes do episódio de desânimo pós-Witness, pensou em tirar a própria vida quando o primeiro marido, o humorista Russell Brand, pediu divórcio por mensagem de texto.

Religiosidade fervorosa dos pais

Para se recuperar de ambas as crises, a cantora se internou no Instituto Hoffman, nos Estados Unidos, onde especialistas procuram encontrar traumas de infância que levam a comportamentos negativos na vida adulta.

Katy disse ter identificado que muitos de seus problemas foram consequências de crescer com pais cristãos rigorosos.

"Todo mundo tem uma infância. Mas a minha infância foi só um treinamento sobre Jesus. Ela não foi expansiva e não foi exploradora. Era apenas domingo de manhã, domingo à noite, tarde de quarta-feira: Jesus, Jesus, Jesus, Jesus", lamentou a cantora.

Ela ainda afirmou que a atmosfera controladora de sua casa fez com que ela desenvolvesse um Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) por limpeza, algo ignorado pela família da cantora.

"Jesus cura tudo! Por suas feridas, você está curado! Eu sinto muito se seus dedos estão caindo, mas Deus irá curá-los", ironizou Katy sobre o negacionismo dos pais em relação a um tratamento para seu transtorno. "É como se, caso você não tenha uma fé intensa, você não é o um bom cristão. Mas existem muitas ferramentas que Deus nos deu para ajudar a nós mesmos, e a ciência, médicos e terapeutas são alguns deles", defendeu a intérprete de "Roar".

Ela ainda contou que o tom colorido de seus trabalhos tem relação com suas vivências enquanto criança. "Eu acho que adotei o humor e o sarcasmo como um escudo bem cedo", disse a cantora, que espera sua primeira filha do casamento com o ator Orlando Bloom e já falou que sua criação criou "inseguranças" sobre sua futura vida como mãe.

Autoestima