PUBLICIDADE

Topo

EUA: Governador republicano critica diretriz anti-LGBTQ+ do próprio partido

A diretriz aprovada por centenas de membros do partido diz que determina que "práticas LGBT não são saudáveis e são perigosas" - nito100/Getty Images/iStockphoto
A diretriz aprovada por centenas de membros do partido diz que determina que "práticas LGBT não são saudáveis e são perigosas" Imagem: nito100/Getty Images/iStockphoto

De Universa, em São Paulo

24/07/2020 18h04

O governador republicano da Dakota do Norte, Doug Burgum, criticou o próprio partido por uma diretriz anti-LGBTQ+ que chamou de "ofensiva e divisora".

A diretriz foi aprovada por centenas de membros do partido, e orienta as ações dos filiados. Ela determina que "práticas LGBT não são saudáveis e são perigosas, às vezes pondo em risco ou diminuindo expectativa de vida, e às vezes contaminando a sociedade como um todo".

"Como já disse várias vezes, todos os habitantes da Dakota do Norte merecem ser tratados igualmente e viverem livres de discriminação. Não há espaço para a retórica ofensiva e divisora das diretrizes do Partido Republicano", disse o governador em nota.

Na quarta-feira (22), o diretor-executivo estadual do partido, Corby Kemmer, emitiu um pronunciamento pedindo desculpas pela linguagem usada na diretriz. Ele argumentou que ela é parte de uma série de resoluções que foram votadas em conjunto, e não individualmente.

Não foi divulgado se a diretriz será alterada.

Diversidade