PUBLICIDADE

Topo

Mulheres inspiradoras

Maya Gabeira: 'Nunca foquei na minha beleza para chegar onde estou'

Maya conta que os momentos em que mais sentiu o machismo do mundo do esporte foram seus acidentes - Reprodução/Facebook
Maya conta que os momentos em que mais sentiu o machismo do mundo do esporte foram seus acidentes Imagem: Reprodução/Facebook

De Universa, em São Paulo

23/07/2020 22h59

Em 2018, Maya Gabeira entrou para o Guiness Book após surfar uma onda com 20m de altura. Agora, é finalista do prêmio WSL Big Wave Awards na categoria dedicada às ondas gigantes.

Toda a visibilidade a fez ganhar o título de "musa do surfe". Em entrevista à revista Glamour, Maya fala sobre a fama e o machismo no mundo dos esportes.

Ela afirma que não faz questão de ser chamada de "musa", mas também não se incomoda — às vezes, até ajuda na carreira.

"Nunca foquei na minha beleza para chegar onde estou, sempre fui muito focada na performance. Porém qualquer trabalho em que se lida com a imagem, esse apelo sempre pesa na hora de fechar contratos e fazer campanhas publicitárias."

Maya conta que os momentos em que mais sentiu o machismo do mundo do esporte foram seus acidentes: "Citando o de Nazaré, o primeiro questionamento foi logo que eu não era capacitada para estar naquela condição de risco."

A surfista completa: "Isso nunca aconteceu no esporte entre os homens. Sempre achei isso muito machista, enquanto os homens sempre se saíam como heróis por arriscarem suas vidas eu era sempre questionada pela minha capacidade de estar naquele ambiente ao invés de elogiada pela minha coragem."

Mulheres inspiradoras