PUBLICIDADE

Topo

Alto Astral

Encosto é diferente de obsessor, diz Márcia Fernandes: como afastá-los?

De Universa

21/07/2020 12h47

Apesar de serem descritas como sinônimos por algumas pessoas, ter um encosto e ter um espírito obsessor são experiências diferentes, explica a sensitiva Márcia Fernandes.

Em live promovida por Universa nesta terça-feira (21), a especialista falou sobre o tema e como a presença de pessoas que já morreram — os desencarnados, na visão espiritualista — podem influenciar na vida de quem está vivo. Explicou, ainda, como cuidar da própria energia e da casa, além de como afastar a energia que pode estar fazendo mal a você.

Veja os destaques da conversa da sensitiva com Barbara dos Anjos Lima, editora de Universa, abaixo.

Identificar e afastar encostos: como fazer?

Segundo Márcia Fernandes, o encosto pode ser uma pessoa boa que partiu para o plano espiritual, mas continua ligada a você, ou uma pessoa que ainda está nas trevas. "Essas são as almas que estão no mal", explica a sensitiva.

Neste caso, a pessoa que tem o encosto próximo a ela pode apresentar até reações físicas de mal-estar, como insônia, diarreia, dor de estômago, queda de cabelo, dores no corpo, bruxismo durante a noite. Acordar esgotado também pode ser um dos sintomas. Vale dizer que é preciso investigar se essa reações têm alguma relação com a saúde física do indivíduo.

E não é só "encosto do mal" que fica perto das pessoas vivas: familiares que morreram e que ficam na Terra por amor a quem deixou também podem provocar esse desconforto.

Acontece que o encosto, quando não é de alguém conhecido, pode não ter uma conexão tão forte com quem fica perto — ele apenas se aproxima para conseguir "alimento". "Ele está jogado nas trevas e cisma com você para conseguir o alimento, que é o ectoplasma que sai da nossa boca e do umbigo. Ele quer sugar seu tônus vital", descreve a sensitiva.

O obsessor, por sua vez, tem um histórico com aquele que sofre a obsessão. "É ligado à vingança".

Para afastá-lo, é recomendado que se visite um lugar espiritualista, como centros espíritas, de candomblé e de umbanda, para evangelizar o espírito. Manter as emoções qualificadas também pode ser uma medida pessoal. "Tem que parar de ver tragédia na TV, cuidar do seu mundo, parar de querer cuidar da vida dos outros".

Rituais para cuidar da própria energia

De forma mais imediata, há rituais que podem ser feitos para cuidar da própria energia, segundo a sensitiva:

  • Rezar os salmos 96 e 66, enquanto limpa a casa;
  • Fechar o umbigo: colocar esparadrapo no umbigo por 60 dias, tirando para dormir. A recomendação, aliás, se dá para "quem se masturba com frequência" e que tem dificuldade para dormir. "Pode continuar se masturbando, mas fecha o umbigo. Vai ter espírito que vêm fazer sexo com a moçada que se masturba";
  • Manter plantas e oráculos na casa para manter a energia positiva;
  • Usar corante azul na limpeza de ambientes. "Coloque o anil no piso e nas paredes do banheiro, da cozinha", explica;
  • Preparar a "água do dr Bezerra de Menezes". Colocar uma garrafa com água aberta à noite (às segundas, quartas e sextas) para que sejam colocados os fluidos que você precisa para resolver a questão que lhe aflige. Dizer: "Que a corrente médica de Bezerra de Menezes coloque nessa água o remédio necessário para [minha agitação, saúde mental, para meu filho passar no concurso...]". No dia seguinte, a água pode ser usada para dar banho em criança, em pessoas com depressão, cozinhar, ou para bebe-la";
  • Proteger o colchão na hora de dormir. "Sob o colchão, colocar um papel alumínio com a parte prateada para dentro para bloquear as energias negativas".

Sinais na casa

Além dos sintomas físicos, algumas mudanças na casa podem estar relacionadas à presença de encostos.
"Se a casa cheia podre, não tem discussão: é um pedaço de defunto grudado no ambiente. Eles fedem e são almas das trevas", comenta Fernandes.

Dar "tilt" em aparelhos eletrônicos, como o computador, lâmpadas queimadas, plantas que morrem também são alguns dos sinais. A recomendação de Márcia Fernandes, para limpar a energia impregnada deixada pelos espíritos, é limpar a casa com um pano, água e cânfora.

Tenho mediunidade?

Quem vê ou sente espíritos quase sempre se pergunta se isso é sinônimo de mediunidade. Márcia diz que todos nascemos com esse dom, e o que resta àqueles que têm mais desenvolvida é estudar. "Em casa, estude os livros de Allan Kardec, leia 'O evangelho segundo o Espiritismo'. E a mediunidade só deve ser treinada em um centro espírita; se treinar em casa, só vai atrair porcaria", alerta. "Tem muita criança que fica fazendo brincadeira do abecedário com os espíritos. Pelo amor de Deus, não pode. Você acha que um espírito evoluído tem tempo para brincar disso?".

Alto Astral