PUBLICIDADE

Topo

Como Marília Mendonça: deletar fotos no impulso pós-término faz bem?

Marília Mendonça no Domingão do Faustão - Reprodução/TV Globo
Marília Mendonça no Domingão do Faustão Imagem: Reprodução/TV Globo

Nathália Geraldo

De Universa

20/07/2020 12h05

Seguida por quase 33 milhões de pessoas no Instagram, a cantora Marília Mendonça agiu sem rodeios após o término do namoro com o cantor Murilo Huff e deletou (ou arquivou) da rede social as fotos em que eles apareciam juntos. Permanecem alguns registros em que o ex-casal aparece com o filho, Léo.

Quem tem um relacionamento público costuma, de fato, se preocupar com a "presença digital" do ex — e, dependendo do caso, faz questão de eliminar o quanto antes fotos, vídeos e comentários compartilhados nas redes que representem o tempo em que o par estava junto. Murilo, contudo, mantém no Instagram as fotos com Marília.

Famosos, que geralmente têm a relação amorosa exposta a mais pessoas, não escapam dessa lógica do "acabou, deletou". Quais consequências isso traz ao emocional de quem acabou de terminar um namoro?

Deletar fotos do ex, como fez Marília Mendonça: efeitos

Já é batida a ideia de que ninguém posta momentos ruins nas redes sociais. O Instagram, por essa razão, pode se tornar um "mural da felicidade" que registra apenas os bons momentos do casal — e, após o fim da relação, rever essas imagens nem sempre ajuda a seguir em frente e, algo que Marília canta sempre, superar.

Em entrevista para Universa, a psicóloga Mariana Luz explica que apagar as fotos com o ex ou não é um comportamento que reflete como foi a trajetória dos dois e, claro, os possíveis motivos da separação.

"No Instagram, a gente publica fotos do namoro, coisas bonitas, comidas bonitas. Existe uma necessidade de mostrar que está tudo bem. Só que ele também reflete uma questão interna de cada sujeito. Então, quando acontece algo na relação, temos a vontade de apagar as fotos com o parceiro para sentir que estamos tirando a pessoa de nossa vida".

Isso não significa imaturidade, dizem os psicólogos. Aliás, se for necessário parar de seguir o ex — como Marília também fez — e bloqueá-lo das redes sociais, vá em frente.

"É uma questão de se preservar. Para esquecer, precisamos de um pouco de distância. Não cabe a ninguém julgar essa decisão, porque só quem viveu a relação sabe o que está sentindo. Ainda que não haja vontade de voltar, há sempre um resquício de sentimento, que pode ser raiva e decepção, por exemplo", afirma a psicóloga Marina Vasconcellos, especializada em terapia de casais e família pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), em entrevista para Universa.

Tirar do feed, entretanto, não significa que a pessoa saiu automaticamente da mente ou do coração. "Se já não serve mais, a pessoa tem todo direito de apagar. Só que é imprescindível lidar também com as emoções", afirma Luz. Buscar terapia, falar sobre o relacionamento ou fazer atividades que fazem bem são algumas das saídas para o momento.

Os sentimentos após separação, vale dizer, podem ser potencializados pelos desdobramentos emocionais que já estamos enfrentando por conta da pandemia de coronavírus — por essa razão, terminar o namoro durante a quarentena requer um "olhos nos olhos".

Com informações das matérias Como Diogo Melim: apagar fotos do par nas redes funciona? Psicóloga opina
e Cortar contato e excluir o ex das redes sociais não é sinal de imaturidade

Relacionamentos