PUBLICIDADE

Topo

Pela 1ª vez, Supremo Tribunal da Espanha será presidido por uma mulher

O Judiciário espanhol já reconhecia a ausência de mulheres como um problema, e vinha cobrando maior igualdade no setor - iStock
O Judiciário espanhol já reconhecia a ausência de mulheres como um problema, e vinha cobrando maior igualdade no setor Imagem: iStock

De Universa, em São Paulo

17/07/2020 14h53

Pela primeira vez, o Supremo Tribunal da Espanha será presidido por uma mulher.

As juízas Lourdes Arastey e María Luisa Segoviano apresentaram suas candidaturas à presidência da chamada Quarta Câmara, que ficou vaga em junho após a aposentadoria de Jesús Gullón.

De acordo com o jornal espanhol El País, essa é a primeira vez que duas mulheres são candidatas para a chefia de uma das cinco câmaras judiciárias sem disputar o cargo com nenhum homem.

O Judiciário espanhol já reconhecia a ausência de mulheres como um problema, e vinha cobrando maior igualdade no setor.

Apesar desta conquista, o El País lembra que o Supremo Tribunal da Espanha ainda está longe de mostrar igualdade entre os gêneros. Dos 74 magistrados que compõem o tribunal, apenas 14 são mulheres.

María Luisa Segoviano e Lourdes Arastey, as duas candidatas à presidência, são magistradas veteranas com 11 e 14 anos de experiência no tribunal.

Direitos da mulher