PUBLICIDADE

Topo

Jovem surda é filmada sendo agredida por companheiro e relata estupro

Pamela é agredida pelo namorado Gilberto com um chute na cabeça - Reprodução/Redes sociais
Pamela é agredida pelo namorado Gilberto com um chute na cabeça Imagem: Reprodução/Redes sociais

Felipe Munhoz

Colaboração para o UOL, em Lençóis (BA)

15/07/2020 12h15

Uma filmagem feita por uma vizinha fez com que uma jovem surda relatasse agressões e estupros que sofreu do namorado em Bauru (SP). O vídeo foi feito no último sábado e foi compartilhado nas redes sociais pela vizinha, que não terá a identidade revelada, com autorização de Pamela Gabrieli Eusébio Rocha, 19 anos, que é a vítima das agressões.

Nas imagens, o namorado Gilberto Ricardo Manhinini, 30, dá um chute com o pé esquerdo na cabeça da vítima, quando ela tentava se levantar do chão. Com a pancada, ela bate em um móvel e cai. Na sequência, ele fica por cima de Pamela e agarra o braço esquerdo, tentando imobilizá-la. Depois, ele dá socos na cabeça da namorada e interrompe quando a vizinha pede que ele pare com as agressões.

Após a gravação, a vítima foi à delegacia de São Manuel, cidade onde mora a mãe da jovem, e relatou ter sido estuprada pelo namorado no apartamento onde moravam, de acordo com a Polícia Civil.

Segundo consta no boletim de ocorrência, Pamela explicou que seu namorado estava alcoolizado e sob efeito de cocaína no momento da agressão. Ele ainda não foi ouvido pela polícia, pois a queixa foi registrada em outra cidade.

No boletim, a jovem de 19 anos relatou que seu companheiro a forçou a fazer sexo por duas vezes sem o seu consentimento e, por conta disso, Manhinini também será investigado por estupro. Baseado na Lei Maria da Penha, Pamela solicitou medida protetiva e Manhinini não poderá se aproximar da companheira.

A vítima estava ferida no momento em que foi à delegacia e já fez exame de corpo delito, que será encaminhado para a Delegacia de Polícia da Defesa da Mulher de Bauru, onde ocorreu o fato.

A delegada Marcia Regina dos Santos, que assumirá o caso, disse que as imagens serão usadas como prova. "Ainda não recebi o BO, mas o procedimento será o padrão. Faremos a oitiva do suspeito e vamos pedir a degravação do vídeo", explicou.

Violência contra a mulher