PUBLICIDADE

Topo

Mulher denuncia assédio no Rio e diz que homem tentou se masturbar em trem

Do UOL, em São Paulo

07/07/2020 19h05

Larissa Almeida denunciou um homem por assédio sexual no Rio de Janeiro. Ele teria se sentado diante dela no trem, no ramal Japeri, e tentado se masturbar, mas a moça se levantou e gritou para impedi-lo. Ela afirma ter feito Boletim de Ocorrência na 63ª Delegacia de Polícia de Japeri para importunação sexual e publicou vídeos sobre o caso (que podem ser vistos acima).

"Você é um moleque! É isso que você é! Enquanto as mulheres não abrirem a boca, você vai continuar fazendo isso", gritou Larissa. Os vídeos publicados por ela no Twitter mostram o homem tentando esconder o rosto com a mochila. "Tá com vergonha?", perguntou ela.

De acordo com ela, o acusado chegou a dizer que tem uma filha de dois anos. Larissa é mãe e explicou que justamente por isso não se intimidou. "Eu tenho vergonha pela minha filha que pode passar por isso por um monstro como você. Amanhã pode ser a sua filha", gritou a vítima, que tem 21 anos (segundo informações de seu perfil no Twitter).

"Eu sofri um assédio dentro do trem porque nós mulheres, infelizmente, passamos por isso todos os dias. Ontem, diferente de muitas vezes, eu decidi não me calar. Foi a primeira vez depois que a minha filha nasceu, e eu só pensava nela", disse Larissa em depoimento enviado à TV Globo e publicado em seu IGTV pessoal, no Instagram.

Depois de muito gritar, Larissa caiu no choro, mudou de vagão no trem e teve o apoio de outras mulheres. Entre soluços, ela contou o que havia acabado de presenciar. O homem, supostamente morador de Queimados, teria ficado no trem até Engenheiro Pedreira, depois da estação em que deveria descer.

Ela disse que foi seguida pelo homem quando deixou o trem, mas teve a sorte de encontrar um amigo que a acompanhou ao DPO (Departamento de Polícia Ostensiva) de Engenheiro Pedreira; porém, um policial teria dito apenas para ela fazer B.O. online.

"Meu amigo me acompanhou até a saída, e quando saímos encontramos quem? O ASSEDIADOR. Meu amigo foi ter uma conversa com ele, e o mesmo afirmou: 'Somos homens, né, amigo? Acontecem essas coisas'. Meu amigo se alterou", contou Larissa no Twitter.

O amigo tentou agredir o suposto assediador, mas, neste momento, o policial notou o que estava acontecendo e levou o acusado à delegacia. "Eu fiz, sim, o Boletim de Ocorrência e quero encorajar outras mulheres: não se calem", pediu ela no IGTV.

caso assédio - reprodução/Twitter/IGTV - reprodução/Twitter/IGTV
Homem é acusado de assédio sexual por Larissa Oliveira de Almeida
Imagem: reprodução/Twitter/IGTV

"Por que tô postando tudo isso? Mulheres, DENUNCIEM, GRITEM, NÃO SE CALEM. AINDA QUE A VOZ EMBARGUE, AINDA QUE SUAS PERNAS TREMAM, GRITEM, NÃO SE CALEM! Não podem calar a nossa voz", publicou Larissa no Twitter.

"Se você, mulher ou homem, presenciar algo do tipo, não fique parado olhando. Ajude, dê apoio! Vocês não têm noção do medo que a gente sente nesse momento, mas nos ajudem a ter voz! Eu tô lutando por todas as mulheres e principalmente por minha filha", completou.

No Facebook, a esposa do homem disse que ele é inocente: "Ele foi acusado de assédio no trem por uma maluca, já é a segunda vez que acontece isso".

A publicação — que já foi apagada — terminou em tom ameaçador para Larissa. "Eu vou atrás de você", afirmou a mulher do acusado.

Violência contra a mulher