PUBLICIDADE

Topo

Moda

Marca de Kendall e Kylie nega ter deixado de pagar empregados de Bangladesh

As irmãs Kendall e Kylie Jenner celebram lançamento de coleção da marca Kendall + Kylie em evento em Los Angeles, em 2016 - Donato Sardella/Getty Images for Nordstrom
As irmãs Kendall e Kylie Jenner celebram lançamento de coleção da marca Kendall + Kylie em evento em Los Angeles, em 2016 Imagem: Donato Sardella/Getty Images for Nordstrom

De Universa, em São Paulo

03/07/2020 16h26Atualizada em 03/07/2020 17h34

A marca de roupas de Kendall e Kylie Jenner, Kendall + Kylie, respondeu às alegações de que teria deixado de pagar os funcionários das fábricas em Bangladesh devido à pandemia do novo coronavírus.

A acusação, segundo a revista People, foi publicada na Remake em 1º de junho. O artigo alega que o Global Brands Group (GBG) "se recusou a pagar seus fornecedores" por roupas produzidas em fevereiro e março, após uma queda nas vendas causada pela crise da covid-19.

O GBG, de acordo com a Remake, incluía a Kendall + Kylie em seu portfólio de marcas afiliadas, mas a lista completa foi removida de seu site oficial.

Em uma publicação no Instagram, contudo, Kendall + Kylie rebateu o artigo, dizendo que as acusações são falsas e que a marca não pertence ao GBG.

"Gostaríamos de esclarecer o boato infeliz e incorreto de que o Global Brands Group é dono da marca Kendall + Kylie e que deixamos de pagar os trabalhadores das fábricas de Bangladesh por causa da pandemia da covid-19. Isso não é verdade", diz o comunicado.

Depois, a marca esclarece que pertence a 3072541 Canada Inc., não ao GBG, ainda que tenha trabalhado com este último no passado. "Mas nós não temos nenhuma relação com o GBG hoje", reforça.

Kendall + Kylie também reconheceu que estes são "tempos difíceis" para a indústria da moda como um todo, mas disse continuar apoiando todos os seus parceiros que trabalham nas fábricas que produzem suas roupas.

"Trabalhamos em países do mundo todo e não recebemos nenhuma reclamação das fábricas que produzem nossos itens", conclui a nota.

Há cerca de uma semana, como relata a People, a Remake atualizou o artigo de 1º de junho com uma nota. Segundo a revista, um representante da Kendall + Kylie entrou em contato para esclarecer que a marca não mantém relações com o GBG hoje e que recorria à Justiça caso a informação não fosse corrigida e a Remake não se retratasse.

"Kendall + Kylie save quem são seus fornecedores? Eles podem confirmar que as mulheres que costuram suas roupas foram pagas?", questionou a revista. "Até recebermos provas de que eles pagaram os fabricantes de roupas, continuaremos investigando. Também convidamos a equipe de Kendall + Kylie para dialogar conosco e saber mais sobre as mulheres que dão vida a sua marca", completou.

Moda