PUBLICIDADE

Topo

Justiça mantém condenação de homem que ateou fogo em amante homossexual

iStock
Imagem: iStock

De Universa, em São Paulo

26/06/2020 10h31

A 6ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo votou unanimemente por manter a condenação de um réu acusado de homicídio após atear fogo em seu amante, com o intuito de acobertar relacionamento homossexual que havia entre eles. O caso ocorreu na cidade de Lençóis Paulista.

A pena foi arbitrada em 22 anos de reclusão, em regime fechado, segundo o site do TJ-SP. De acordo com os autos, o réu estava prestes a se casar com a namorada e tinha receio de que a vítima revelasse o que acontecia entre os dois.

Conduzindo uma motocicleta, ele levou o amante para fora da cidade e passou a agredi-lo com chutes e socos. Deixando a vítima desacordada, o réu dirigiu até um posto de combustível e comprou um galão de álcool, que usou para colocar fogo no amante ao retornar ao local.

O relator da decisão, desembargador Lauro Mens de Mello, descreveu o caso como um "crime que gerou grave repercussão social, causa de choque e clamor na sociedade ordeira de Lençóis Paulista, pela forma cruel com que foi praticado, mesmo quando comparado a outros delitos da mesma natureza".

Diversidade