PUBLICIDADE

Topo

Diversidade

Embaixada dos EUA na Rússia exibe bandeira LGBTQ+, desafiando governos

De Universa, em São Paulo

25/06/2020 10h02

A embaixada dos EUA em Moscou (Rússia) desafiou ordens de ambos os governos para estender uma bandeira do orgulho LGBTQ+ ao lado da bandeira norte-americana a partir da manhã de hoje. A informação é do The Moscow Times.

"Direitos LGBTQ+ são direitos humanos. Direitos humanos são universais. Todo mundo merece viver livre de ódio, preconceito e perseguição", escreveu a embaixada em seu Instagram oficial.

Infrações

A colocação da bandeira com as cores do arco-íris na fachada do prédio contraria uma lei russa que proíbe "a exibição de propaganda para minorias sexuais", como definiu o porta-voz do governo, Dmitry Peskov, ao ser perguntado sobre o assunto.

A segunda norma infringida pela colocação da bandeira LGBTQ+ na embaixada é do próprio governo norte-americano. No começo do mês, a administração de Donald Trump proibiu prédios governamentais de hastearem a bandeira do arco-íris, mesmo que apenas durante o mês do orgulho LGBTQ+, comemorado em junho.

Assim como a embaixada de Moscou, outros prédios governamentais encontraram formas de burlar essa última regra, que no papel só se aplica à exibição da bandeira LGBTQ+ em mastros oficiais conectados à construção. Assim, pendurar a bandeira de janelas ou nas paredes internas estaria, teoricamente, permitido.

Votação

A colocação da bandeira LGBTQ+ na embaixada coincide também com o dia em que os cidadãos russos começam a votar em um referendo popular sobre uma série de modificações na lei do país — entre elas, a inclusão de trechos na Constituição que definiriam a instituição do casamento, oficialmente, como "a união entre um homem e uma mulher".

Ativistas LGBTQ+ na Rússia argumentam que a mudança tornaria impossível a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo no país, entre outros avanços vistos como necessários pela comunidade.

Diversidade