PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

As lições do noivado "express" de Adriano Imperador, segundo psicólogas

O jogador Adriano Imperador e a estudante de Medicina Victoria Moreira - Reprodução/Instagram
O jogador Adriano Imperador e a estudante de Medicina Victoria Moreira Imagem: Reprodução/Instagram

Nathália Geraldo

De Universa

22/06/2020 15h23Atualizada em 22/06/2020 19h08

Dez dias depois de anunciar noivado no Instagram, o ex-jogador Adriano Imperador usou a rede social para dizer que está solteiro. "Na pista pra negócio Habib", escreveu em uma legenda, no domingo (21). Em outro post, deletado posteriormente, comentou que a ex era "muito falsa". Deletou todas as fotos do casal. E disse que, após o término, ia seguir a vida, "como sempre".

O curto período do noivado entre Adriano e a estudante de Medicina Victoria Moreira virou assunto entre os seguidores do craque; o nome dele foi um dos mais comentados na manhã desta segunda-feira (22) no Twitter.

Fato é que os relacionamentos "express" podem nos ensinar sobre como estão nossas expectativas afetivas frente ao outro. Também são um termômetro para medir como homens e mulheres, especialmente os famosos, recebem julgamentos diferentes quando uma relação termina. Entenda.

Noivou, separou: o caso de Adriano Imperador e Victoria Moreira

Adriano e Vicitoria - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Victoria ainda não apagou fotos do casal de seu Instagram; o ex-jogador já tirou as imagens do ar, após anunciar o término
Imagem: Reprodução/Instagram

Adriano e Victoria assumiram o namoro no final de 2019. Cada pessoa, cada casal tem seu tempo para se envolver e se relacionar romanticamente. Não há um "calendário do amor" para ser seguido à risca.

Porém, dar novos passos em uma relação amorosa em uma velocidade aumentada é "um mal do nosso tempo", diz a psicóloga e terapeuta de casais Marcia Neumann. A isso se soma a lógica do "consumo imediato" estabelecida por aplicativos de relacionamento em que as etapas de um envolvimento podem ser, por vezes, "atropeladas". "No Tinder, são relações breves. Muitas geram namoros, de vínculo profundo, mas a maioria é descartável".

As pessoas, então, atropelam a vontade de se conhecerem. E isso gera um rompimento depois.

"Mas, não é só isso que pode interferir em um término rápido assim", diz Marcia. "Às vezes, as pessoas estão apaixonadas, passam a morar no mesmo teto, e com o tempo passam a enxergar outro lado de alguém que antes não era visto". Também podem, por medo, passarem a repensar a decisão do noivado. " A pessoa pode se assustar com isso, que é considerado algo mais sério. E só depois, pensa no que fez".

O que você espera das relações?

O isolamento social, que já está redefinindo a forma com que estamos flertando, namorando e — como no caso de Adriano — noivando, também pode ser um fator que contribui para gerar tensão nos relacionamentos, como explica a psicóloga clínica Mariana Luz.

Dependendo do histórico e de como o casal está lidando com a "angústia coletiva", diz a especialista, isso pode ser motivo de término.

"Nós estamos mais sensíveis, ansiosos e criando expectativas que seriam diferentes em outros tempos. Só que, em qualquer época, não se pode colocar essa nossa perspectiva em cima do outro. No caso dos homens, aliás, é um bom momento para se pensar a masculinidade frágil: afinal, eles aprendem que nós precisamos corresponder ao que eles imaginam".

No Instagram, Adriano disse para os seguidores que a ex era "falsa". "Olha gente a pessoa que eu estava é muito falsa aí dps eu que eu estou errado mais vou seguir minha vida como sempre", escreveu na legenda da foto, que foi deletada de sua rede.

A vida pós-término, no entanto, pode ser a chance de se fazer questionamentos internos sobre como anda a dedicação à vida amorosa e às suas próprias vontades, pondera Mariana.

"Se eu me relaciono por uma semana e ficou noivo, o que isso diz sobre mim? Será que não temos que repensar o que as pessoas esperam das relações? Descobrir que alguém é falso, depois que você se relacionou e estabeleceu passos de intimidade, de afeto, de amor pode nos fazer pensar por que estávamos dentro dessa relação".

Mulheres são mais julgadas

Para Marcia, o caso de Adriano pode ser uma oportunidade para revermos o efeito com que mulheres são julgadas após o rompimento de uma relação, muito diferente do que acontece com o homem que fica solteiro de novo. É comum que se cobre uma justificativa feminina, ou que ela demore mais tempo para superar a perda do parceiro. O recente caso do fim do casamento da cantora Luisa Sonza e do comediante Whindersson Nunes exemplificou muito isso. Ela foi julgada por, supostamente, ter começado um novo relacionamento.

"Por uma situação cultural, parece que a mulher tem que dar mais explicação, como se tivesse que justificar por quê não conseguiu segurar o homem. Ele, no entanto, já está solteiro, pronto para pegação", avalia a psicóloga. "Infelizmente, há essa diferença no trato".

Relacionamentos