PUBLICIDADE

Topo

Ansel, de A Culpa é das Estrelas, rebate acusação de estupro: "Consensual"

O cantor e ator norte-americano Ansel Elgort (FOTO: Reprodução) - O cantor e ator norte-americano Ansel Elgort (FOTO: Reprodução)
O cantor e ator norte-americano Ansel Elgort (FOTO: Reprodução) Imagem: O cantor e ator norte-americano Ansel Elgort (FOTO: Reprodução)

Do UOL, em São Paulo

20/06/2020 23h37

O ator Ansel Elgort, conhecido por seus papéis em "A Culpa é das Estrelas" e "Em Ritmo de Fuga", se defendeu de acusações feitas por por duas mulheres de assédio e abuso sexual. No Twitter, uma jovem chamada Gabby disse que Elgort a estuprou quando ela tinha 17 anos de idade.

"Fiquei angustiado de ver os posts nas redes sociais sobre mim que vêm circulando nas últimas 24 horas. Eu não posso alegar que entendo os sentimentos de Gabby, mas a sua descrição dos eventos simplesmente não é o que aconteceu", disse ele.

"Eu nunca agredi e nunca agrediria alguém. O que é verdade é que em 2014, em Nova York, quando eu tinha 20 anos, Gabby e eu tivemos uma relação breve, legal e inteiramente consensual relação", completou.

"Infelizmente, eu não lidei com o término bem. Eu parei de responder a ela, o que é uma coisa imatura e cruel de se fazer com alguém. Eu sei que essa desculpa atrasada não me absolve do meu comportamento inaceitável quando eu desapareci", prosseguiu Ansel.

"Olhando para trás e a minha atitude, eu me sinto enojado e extremamente envergonhado pela forma como agi. Eu sei que preciso continuar a refletir, aprender e trabalhar para crescer a empatia", concluiu.

O caso

De acordo com a acusadora, o ator respondeu a uma mensagem dela em uma rede social, desejando-lhe feliz aniversário e passando o contato do seu Snapchat pessoal — Gabby mostrou no Twitter um print da conversa inicial. Os dois teriam trocado mensagens pelo aplicativo e eventualmente se encontraram.

Quando o ato sexual começou, no entanto, Gabby teria sentido dores intensas. "Sabendo que era a minha primeira vez e vendo que eu estava chorando de dor, ele não perguntou se eu queria parar. Ele só disse: 'Precisamos fazer você se acostumar com isso'", escreveu ela.

"Eu não estava mais presente naquele momento, mentalmente. Eu simplesmente me dissociei, deixei minha mente ir embora. Sabia que não conseguiria sair de lá. Eu só tinha 1,57m e 44 quilos", relatou ainda.

"Eu era tão jovem, e ele sabia disso. Ele também me disse coisas como: 'Você será uma jovem muito bonita em alguns anos'. Eu tinha 17 anos, p*rra. Ele também me pediu nudes, e perguntou se não poderíamos fazer sexo a três com uma amiga minha, que também era menor de idade", continuou.

"Eu não contei isso a ninguém, porque ele me disse que 'arruinaria a sua carreira'. Ao invés disso, eu fiquei me perguntando o que eu fiz de errado", disse. "Anos depois, eu ainda tenho estresse pós-traumático, ataques de pânico. Comecei a ir à terapia recentemente".

"Eu finalmente me sinto pronta para falar sobre isso e me curar. Eu quero dizer isso para que as meninas por aí que passaram por algo parecido saibam que não estão sozinhas", completou.

Segunda denúncia

A repercussão da acusação de Gabby, que já foi repostada mais de 43 mil vezes no Twitter, trouxe à tona uma segunda denúncia, feita originalmente em abril. A história da jovem chamada Esther é parecida com a de Gabby, incluindo o uso do Snapchat.

"Ansel Elgort, eu sei que você ainda me segue. Lembra quando me mandou essas mensagens quando eu tinha 15 anos e você tinha 21?", escreveu ela, mostrando supostos prints das interações entre os dois.

"Você é muito fofa. Gostaria que você fosse mais velha", escreve Ansel em uma das imagens. "Se você contar isso a alguém, ou aos seus pais, todos ficarão bravos, mas eu quero que você venha ao meu quarto de hotel quando eu estiver em Londres. Quero te beijar, você é tão bonita", diz em outra.

Violência contra a mulher