PUBLICIDADE

Topo

ES: Mulher pula do 2º andar de casa para fugir de agressões de companheiro

A polícia ressalta a importância da contribuição da população contra a violência doméstica, via Disque-Denúncia 181 - iStock/Getty Images
A polícia ressalta a importância da contribuição da população contra a violência doméstica, via Disque-Denúncia 181 Imagem: iStock/Getty Images

Vinícius Rangel

Colaboração para Universa, de Vitória

17/06/2020 18h34

Uma mulher de 25 anos pulou da varanda do segundo andar da casa onde morava em Cariacica, na região metropolitana de Vitória, no Espírito Santo. Segundo a Polícia Militar, o ato foi uma tentativa de pedir socorro e fugir das agressões do companheiro. A vítima pediu socorro à PM na manhã de ontem.

No boletim de ocorrência, consta a informação de que a vítima estava sendo mantida em cárcere privado com os três filhos pelo marido. Segundo a polícia, a dona de casa teria sido ameaçada e agredida pelo companheiro no último domingo (14).

As agressões, de acordo com ela, eram por causa de ciúmes. O marido acreditava que a vítima tinha criado uma rede social e estaria conversando com outros homens. Em entrevista a Universa, a mulher disse que não tem rede social. "Tem 26 dias que tive minha filha, não aguentava as agressões e tive que pular da varanda de casa", afirmou.

Para fugir de agressões, mulher pula do quarto andar no ES - Reprodução/Google Street View - Reprodução/Google Street View
Caso ocorreu em Cariacica, na região metropolitana de Vitória
Imagem: Reprodução/Google Street View

No domingo, ela pulou de uma altura de quatro metros e caiu na rua. Depois, correu em direção a uma região de mata e se escondeu, saindo somente na manhã de segunda-feira (15). As crianças ficaram com o pai. Depois de sentir muitas dores no corpo por causa das lesões, ela foi pedir ajuda médica no pronto-socorro da cidade. Segundo ela, as agressões foram nas pernas, braços, abdômen, nádegas e cabeça.

A vítima foi para a casa da mãe após o atendimento, e disse que tentou por diversas vezes falar com o marido para pegar os filhos. Ainda de acordo com a dona de casa, ele resistiu, dizendo que não ia entregar as crianças. Ela resolveu chamar a polícia para resgatar as crianças. Quando viu os militares, o companheiro dela fugiu da residência.

"Eu implorei para ela ligar para a Polícia. Ela estava com medo, mas eu disse que se ela não chamasse, eu ia chamar, porque o pai não podia ficar sozinho com as crianças", contou a irmã da dona de casa, que pediu para não ser identificada.

O casal estava junto há um ano. O agressor, segundo a PM, já teria passagem pela polícia e ficou preso por três meses. O motivo seria porque ele teria agredido a mulher. Ela pediu uma medida protetiva contra ele, mas em fevereiro desse ano, eles reataram e voltaram a morar juntos. "Ele disse que ia melhorar, que não ia fazer mais isso, e aí voltamos. Hoje eu não quero mais", disse a jovem.

Por meio de nota, a polícia civil informou que o caso seguirá sob investigação da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM) de Cariacica. O suspeito do crime até o momento não foi detido. A Polícia Civil ressaltou ainda a importância da contribuição da população, via Disque-Denúncia 181.

"As informações são fundamentais para auxiliar a polícia e o anonimato é totalmente garantido. As informações ao DD ainda podem ser enviadas via redes sociais e pelo App 190 ES, gerando ainda mais discrição, visto que o cidadão não precisa telefonar para repassar as informações" finalizou a PC.

Violência contra a mulher