PUBLICIDADE

Topo

Diversidade

Redmayne critica tuítes de Rowling: 'Pode levar a violência contra trans'

Eddie Redmayne em cena de "Animais Fantásticos" - Reprodução
Eddie Redmayne em cena de "Animais Fantásticos" Imagem: Reprodução

De Universa, em São Paulo

10/06/2020 11h46

Eddie Redmayne se posicionou de forma crítica aos tuítes de J.K. Rowling que foram apontados nas redes sociais como transfóbicos. O ator é protagonista da franquia "Animais Fantásticos", spin-off de "Harry Potter" que conta com roteiros da criadora da saga.

"O respeito às pessoas transgênero ainda é um imperativo cultural, e com o passar dos anos eu tenho tentado me educar sobre isso. É um processo contínuo. Como alguém que já trabalhou tanto com J.K. Rowling quanto com membros da comunidade trans, me senti na obrigação de me posicionar", explicou.

"Eu discordo dos comentários de Jo [apelido da escritora]. Mulheres trans são mulheres, homens trans são homens, e identidades não-binárias são válidas", declarou, em texto à Variety.

"Eu nunca tentaria falar por toda a comunidade, mas sei que os meus queridos amigos e colegas transgêneros estão cansados dos constantes questionamentos de suas identidades, que frequentemente resultam em violência e abuso. Eles simplesmente querem viver suas vidas em paz, e está na hora de deixá-los", completou.

Além do papel em "Animais Fantásticos", Redmayne é bastante lembrado por "A Garota Dinamarquesa", filme em que interpretou a pintora Lili Elbe, uma das primeiras mulheres a realizar cirurgia de transição de gênero.

Rowling

A série de tuítes postada por Rowling na noite do último dia 6 de junho começou com uma "brincadeira" sobre um artigo do site Devex que mostrava como o novo coronavírus afeta desproporcionalmente "pessoas que menstruam". Rowling ironizou que já havia um termo mais simples para pessoas que menstruam: mulheres.

Os seguidores da autora logo apontaram, no entanto, que homens trans também menstruam, e que mulheres trans não menstruam — e nem por isso não são mulheres. Rowling continuou tuitando sobre o assunto depois.

"Respeito o direito de toda pessoa trans de viver da maneira que lhe parecer autêntica e confortável. Eu marcharia com você se fosse discriminado por ser trans. Ao mesmo tempo, minha vida foi moldada por ser mulher. Não acredito que seja odioso dizer isso", escreveu.

Ela explicou ainda que é "empática com pessoas trans há décadas" e que pensar que ela odeia pessoas trans porque considera questões de gênero "é absurdo".

Reação do elenco

Além de Redmayne, outros membros do elenco do universo "Harry Potter" responderam à polêmica envolvendo a autora.

Daniel Radcliffe, que viveu o protagonista, assinou um artigo em que diz que "mulheres trans são mulheres" e que "qualquer declaração do contrário apaga a identidade e a dignidade das pessoas trans e vai contra todos os conselhos dados por associações profissionais de saúde que têm muito mais experiência nesse assunto do que Jo ou eu".

Evanna Lynch, a Luna Lovegood de "Harry Potter", também saiu em defesa de indivíduos trans, dizendo entender o prejuízo das declarações da autora e discordar dela. No entanto, condenou o "cancelamento" de Rowling e disse para fãs não esquecerem o seu trabalho filantrópico e sua "determinação de ajudar a humanidade".

Katie Leung, a Cho Chang do elenco da saga, fez um post no Twitter em que fingiu que ia opinar sobre o assunto, mas ao invés disso apenas postou links para várias iniciativas e ONGs que ajudam mulheres trans negras pelos EUA e pelo mundo.

Por fim, o ator Chris Rankin, o Percy de "Harry Potter", opinou: "Meus amigos trans lindos, corajosos e fortes: nós amamos vocês. Nunca é o bastante dizer isso. Vocês são maravilhosos, e merecem ser tratados como tal. Saibam disso. Orgulhem-se de quem são. Nós temos orgulho de vocês".

Diversidade