PUBLICIDADE

Topo

Diversidade

'Matrix' foi inspirado por opressão de pessoas trans, diz Wachowski

Lilly Wachowski em premiação em Beverly Hills - Getty Images
Lilly Wachowski em premiação em Beverly Hills Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

03/06/2020 11h46

Lilly Wachowski se abriu sobre a inspiração para "Matrix", trilogia de ficção científica que criou ao lado de Lana Wachowski. A cineasta e roteirista disse ao The Hollywood Reporter que a raiva que sentia em relação à sociedade e a forma como ela oprime pessoas transgênero deu origem à história.

Tanto Lilly quanto Lana trabalharam na trilogia "Matrix" antes de falarem publicamente sobre suas identidades trans. "Nós sentíamos raiva do capitalismo e de sua estrutura corporativista de opressão", contou.

"Esta raiva que borbulhava dentro de mim tinha a ver com a opressão que eu mesma sofria, porque estava me forçando a permanecer no armário", disse.

Exemplo

Hoje em dia, as coisas são diferentes para Lilly. "Agora que eu sou assumida, e um exemplo vivo de alguém que pode envelhecer como uma mulher trans, as outras pessoas trans podem ver meus filmes sob este prisma", argumentou.

"Muitas pessoas entraram em contato comigo dizendo: 'Meu Deus, estes filmes foram tão importantes na minha jornada para sair do armário'. Eu me sinto muito grata de poder oferecer isso às pessoas", contou.

'Sem espaço para ambiguidades'

Lily ainda se enfurece quando o seu trabalho é mal interpretado. Lilly recentemente virou manchete ao xingar políticos e celebridades (incluindo Abraham Weintraub, ministro da Educação no Brasil) por usar cenas e frases de "Matrix" para argumentar contra medidas de distanciamento social.

Por isso, em suas novas obras, a cineasta busca não deixar espaço para dúvidas. "Eu sempre fiz coisas que queria assistir, mas agora aqui estou, assumida e orgulhosa de mim mesma, e não preciso esconder nada no subtexto. Isso é muito satisfatório", comentou.

Além de "Matrix", Lilly trabalhou com Lana em filmes como "A Viagem" e na série "Sense8". Sozinha, lançou recentemente a série de comédia "Work in Progress", protagonizada por uma mulher lésbica que se apaixona por um homem trans.

Diversidade