PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

Beijar de máscara pode? Por que o carinho mostrado por famosos é arriscado

De Universa

03/06/2020 04h00

Para evitar a disseminação do novo coronavírus, a recomendação da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde é de que todos usem máscaras ao sair de casa ou ao ter contato com pessoas de fora do convívio íntimo. Por isso, o acessório se popularizou, inclusive entre os famosos. Alguns casais, no entanto, têm aparecido nas redes sociais trocando carinhos e até dando selinhos enquanto usam a proteção. A foto fica fofa, mas pode trazer riscos.

Entre as celebridades que postaram os momentos românticos usando máscara estão o surfista Gabriel Medina e modelo Yasmin Brunet, Mateus Solano e Paula Braun; Lucas Lucco e a influenciadora Lorena Carvalho, além de ex-BBBs, como Babu e Mari Gonzalez, ao deixarem o confinamento.

Apesar de representar bem o "amor nos tempos de corona", a cena pode trazer riscos para a saúde. Universa conversou com especialistas sobre a prática.

O risco de transmissão pela máscara

O infectologista Ronaldo Silveira de Paiva, professor da PUC-PR, explica que, nas pessoas infectadas, o coronavírus se acumula principalmente no trato respiratório (nariz e garganta). Por isso, quando elas espirram, falam ou tossem, emitem gotículas de saliva contendo o vírus causador da Covid-19 para as pessoas e objetos ao seu redor, aumentando as chances de transmissão da doença.

O uso da máscara, no entanto, diminui as possibilidades de alguém contaminado, que esteja ou não apresentando sintomas, passar o vírus para quem está próximo. Do outro lado dessa equação, a máscara de alguém saudável pode reter o vírus em seus tecidos, impedindo o contato dele com as vias respiratórias.

Mas se as pessoas já se beijam sem máscara, por que não podem se beijar com ela?

Se a brincadeira for feita em casa, com as máscaras devidamente higienizadas, não há risco de contágio. "Ainda assim, tira o propósito do objeto, que é proteger", opina a infectologista Alessandra Regatieri. No entanto, se ela é feita na rua, pode trazer riscos para as duas partes.

Isso porque, mesmo se as duas pessoas estiverem saudáveis, se uma delas teve contato com o vírus e ele ficou retido no tecido, vai colocar o patógeno próximo à pele e às cavidades dos olhos, ouvidos e até nariz do parceiro, já que a máscara caseira não retém totalmente o vírus. Por isso, aumenta o risco de contaminação do outro.

Quando o casal sai na rua, o ideal é que não se beije, abrace ou toque, mesmo usando máscara. "Ao andar na rua ou em outros ambientes, o vírus pode grudar na máscara [pela parte externa], onde permanecerá vivo por pelo menos duas horas", explica a infectologista Márcia Yamamura.

Ela diz que a recomendação é não se aproximar do parceiro e esperar até chegar em casa e fazer a devida higienização das mãos, retirar a máscara com segurança, higienizar novamente as mãos para daí tocar ou beijar outra pessoa. Caso contrário, o que era um gesto de carinho pode se tornar um risco.

Mantenha distância no contato social

Aqueles que estão passando a quarentena com parentes, amigos ou com um companheiro, não precisam usar máscara em casa e estão liberados para beijar e abraçar desde que nenhuma das pessoas esteja apresentando sintomas ou tenha se exposto a algum tipo de risco, como sair para trabalhar — pois, nesses casos, pode estar carregando o vírus sem que ele ainda tenha se manifestado.

Marcia Yamamura reforça que, mesmo usando máscara, não se deve ter contato próximo com outras pessoas que não sejam de contato permanente. "Não é porque você está usando a proteção que pode cumprimentar os outros com abraços ou beijos no rosto, por exemplo. A regra de manter pelo menos um metro de distância continua valendo", diz.

Relacionamentos